Tiga + Dominique Keegan

Dois convidados de luxo para abrilhantar mais uma grande noite de Cumpli(cidades) no Lux. A festa está marcada para dia 14 de Julho.

Mais uma grande noite em perspectiva. Dia 14 de Julho marca o regresso do canadiano Tiga, um dos mais emblemáticos djs e produtores do princípio do novo milénio, que surge acompanhado por uma parte do projecto The Glass, o Irlandês radicado em Nova Iorque, Dominique Keegan.

TIGA REMIX

Como este ano ainda não tinha vindo a Lisboa, ora cá está ele mais uma vez a apresentar a sua música no Lux. Se quiserem conhecer a sua biografia e o percurso deste produtor canadiano, dêem uma vista de olhos no artigo relacionado, no final desta página. Aqui neste artigo vamos apenas tentar responder a uma simples pergunta: O que tem andado a fazer Tiga e que sons vai apresentar nesta sua passagem por Portugal?

Depois de ter editado o seu famoso “DJ Kicks” e de ter o vídeo da sua versão de “Hot in Here” a passar constantemente na MTV, o produtor canadiano continuou a fazer aquilo que mais gosta: remisturar. Das muitas “re-invenções” efectuadas no último ano destacam-se a versão de “Shake Yer Dix” de Peaches, “Comfortably Numb” dos Scissor Sisters, “E Talking” dos Soulwax e “Washing Up” de Thomas Andersson.

Em nome próprio, Tiga editou os muito badalados singles, “Pleasure from the Bass” e “Move My body” com o selo da belga PIAS, estando neste momento a trabalhar num álbum que possivelmente sairá ainda este ano.

Com esta viagem pelo passado mais recente do artista canadiano, praticamente respondemos à segunda parte da pergunta. Para além de algumas novidades que podem surgir no seu set, principalmente material novo, vamos poder desfrutar daquilo que o canadiano anda a ouvir e que passa por Vitalic, M.I.A, Daft Punk e Superdiscount.

O IRLANDÊS NOVA-IORQUINO

Seduzido pelo universo musical da big apple, o irlandês Dominique Keegan deixou a sua terra natal, Dublin em 1994 para embarcar numa aventura. Como os seus antepassados que procuravam “o sonho americano”, Dominique tentou a sua sorte na cidade mais cosmopolita dos Estados Unidos, onde as diferentes raças, cores e estilos se misturam, partilhando culturas, ideias e oportunidades.

Baixista e admirador da “velha guarda” nova-iorquina, Keegan rapidamente se infiltrou no mundo musical da cidade actuando como DJ em alguns pequenos bares de Manhattan. As influências de hip-hop e downtempo deram lugar ao house e as solicitações para actuações aumentaram.

Depois de conhecer o seu compatriota Marcus Lambkin e de ter passado três anos a passar house, Keegan abriu um bar (Plant Bar), tendo depois fundado, com o mesmo Lambkin, a editora Plant Music. A sua participação na cena musical nova-iorquina foi de extrema importância para o grande boom que ocorreu no final dos anos 90, principalmente através do seu bar, por onde passaram, por exemplo, os The Rapture, nas míticas noites “Transmissions” de segunda-feira.

Desde a sua abertura, no ano 2000, o Plant Bar recebeu dj sets de nomes como James Murphy e Felix Da Housecat, tornando-se num dos locais de culto de uma nova vaga de artistas e de projectos como por exemplos os !!! ou os LCD Soundsystem. Em Março de 2003, devido à lei imposta pelo Mayor de NY, que proíbe dançar em bares, o estabelecimento deixou de ter actuações ao vivo e agora existe sem dj’s.

Em Setembro de 2003 é lançada a compilação ”The Sound of Young New York”, através da Plant Music, onde Keegan compilou alguns dos projectos que passaram pelo Plant Bar, reunindo num só disco, projectos indie rock com outros mais ligados à música de dança (Radio 4, Metro Área, etc).

No final do ano passado foi editado o segundo volume da compilação, que foi muito bem recebido pela crítica mundial e que seguiu os pressupostos que foram lançados com o primeiro volume. No final deste ano está prevista a edição de ‘The Sound of Young New York & Toronto”, mais uma vez através da Plant Music, que recentemente assinou um contrato de distribuição com a alemã Groove Attack.

Numa altura em que é praticamente impossível rotular um determinado dj ou projecto, Keegan continua bastante activo. Para além do seu trabalho na editora, tem trabalhado com Glen Brady – outro irlandês em NY – no projecto The Glass, mais dedicado à pop e com o qual tem viajado por toda a Europa. Pelo meio ainda arranja tempo para actuar como DJ um pouco por todo o lado.

Dia 14 de Julho vamos descobrir como se porta atrás do gira-discos em mais uma noite de (cumpli)Cidades no Lux em Lisboa, que promete ser inesquecível e que conta ainda com a prestação dos dois Dezperados: Tiago Miranda no bar a acompanhar Keegan e Pink Boy no piso inferior a acompanhar Tiga.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This