Tiga em Lisboa

O DJ e produtor canadiano está de volta a Portugal para mais uma sessão no Lux.

Antigamente quando alguém me perguntava se conhecia algum músico ou banda canadiana, só me conseguia lembrar do Bryan Adams.  A nível musical, o Canadá começava e acabava no Bryan Adams. Não conseguia perceber como é que um País que é bastante grande, não conseguia exportar mais música ou músicos. Felizmente que cresci, ouvi e conheci muita coisa. Uma das coisas que ouvi e que realmente me surpreendeu pela positiva foi Tiga.

Embora seja uma pessoa ainda na casa dos trinta, este produtor e DJ canadiano já anda por estas andanças hà muito tempo. Desde o início da década de 90 que, em conjunto com alguns amigos, insatisfeito com a vida nocturna da cidade de Montreal, começou a dar festas e a convidar DJ’s, culminando com a realiização da primeira “rave” em 1993 designada por “Solstice”.

Em 1994, inicia a sua carreira como empresário abrindo a primeira loja de discos dedicada exclusivamente à música electrónica e, em 1998, inicia a “Turbo Recordings”, de forma a conseguir editar aquilo que bem lhe apetece produzir. De um momento para o outro dá conta de que existem muitos artistas de qualidade interessados em editar o seu trabalho e assim nasceu uma editora que já lançou mais de 20 álbuns entre os quais se encontram “Soundtrack Saga” de Peter Benisch, “To a Time of Asia” de Christopher Handlebar e “Mixed Emotions” e “American Gigolo” do próprio Tiga.

Nos últimos anos, Tiga não tem tido descanso e as solicitações tanto para “DJ Sets” como para produção são imensas. O seu mais recente trabalho, não tem o selo da sua editora, mas sim da !K7 e está englobado na prestigiada série “DJ Kicks”. A !K7 convida sempre artistas para fazer um álbum mixado a seu próprio gosto, independentemente de afiliação com selos, gravadoras e agências. E, mais uma vez, a !K7 acertou em cheio. “DJ Kicks Tiga” soa como um “plano director” para o electro.

“DJ Kicks Tiga” apresenta um impecável mix de algumas músicas novas que soam a velhas e de músicas velhas que soam novas, além de clássicos que animam qualquer pista em qualquer lugar. “DJ Kicks Tiga” é, acima de tudo, pura diversão electrónica. Além da forte pitada hedonística de diversão pura e a ideia de que o amanhã não existe, as maiores influências provêm do synth pop dos anos 80 de Depeche Mode, Cabaret Voltaire e Soft Cell.

Juntamente com Miss Kittin, Felix The Housecat (também em Março no Lux) e DJ Hell, Tiga é um dos mais destacados nomes da cena electro mundial, que tanto agitou o mundo electrónico em 2002. Diz quem o viu o ano passado, que a sua actuação é explosiva, erótica e muito surpreendente. Ficamos à espera da actuação com a certeza de que será sempre uma boa surpresa.

A não perder na noite de dia 4 de Março na discoteca Lux em Lisboa.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This