rdb_timeinacan_header

TIME IN A CAN

Caberá o tempo numa lata?

Um estúdio de fotografia em Madrid – o “Estúdio Redondo” – idealizou o projecto TIME IN A CAN, que chegou a Portugal no final do mês de Junho com o objectivo de inovar a forma de fotografar locais e paisagens, através da solarigrafia ou solargrafia – técnica que regista o movimento do sol durante a sua trajectória. Movimento este que, ao longo dos seis meses entre o solstício de Verão e de Inverno, será registado pelas câmaras fotográficas artesanais criadas para o projecto.

Estas câmaras são latas de refrigerante de metal reciclado – uma parceria com a Associação de Latas de Bebidas (ALB) – que através de um pequeno orifício captam a luz que passa directamente para o papel fotográfico colocado no interior de cada lata. Um método simples que, além de inovador, é sustentável e encara a natureza onde tudo se move rápido e onde são perdidos detalhes de experiências como esta, que obtêm resultados surpreendentes de imagens e perspectivas, fora dos limites da visão comum.

Vários países e algumas cidades portuguesas aderiram à iniciativa, sendo que 25 latas encontram-se já instaladas em locais como o Castelo de São Jorge (Lisboa), Palácio Nacional da Pena (Sintra), Castelo de Guimarães, Museu da Água (Lisboa), Jardim Botânico de Lisboa, Aqueduto das Águas Livres (Lisboa), Palácio Nacional de Queluz, Palácio Nacional de Sintra, Centro Português de Fotografia, Palácio Nacional de Mafra, Ilha de S. Miguel (Açores) e Macau, através da colaboração com um fotojornalista português residente na região.

Resta-nos esperar para ver o que as câmaras – retiradas no solstício de Inverno, em Dezembro – vão revelar e dar a conhecer na exposição que em 2013 vai percorrer o País. Mais informações e outros pormenores encontram-se disponíveis no website e facebook do projecto, bem como no vídeo de produção da acção a decorrer em Portugal.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This