Titanfall Análise Review

Titanfall | Análise

Um dos mais ambiciosos lançamentos do ano que promete revolucionar o género FPS. Será que consegue?

Da Respawn Entertainment eis que chega Titanfall com a promessa de revitalizar e inovar o género FPS. As probabilidades de que isso venha a acontecer são bastante elevadas, uma vez que os dois fundadores deste estúdio são Jason West e Vince Zampella os principais responsáveis pela tão aclamada série Call of Duty. Neste novo título, podemos contar com uma jogabilidade rápida que levará a encontros explosivos e cheios de adrenalina. Será que Titanfall vai realmente conseguir revitalizar o género FPS, tantas vezes acusado pelos fãs de seguir constantemente a mesma receita?  Juntem-se a nós numa análise que promete ser, no mínimo, explosiva e de tal forma intensa que fará com que os vossos netos nasçam com barba rija!

Depois de um breve, e bastante útil, tutorial, onde vamos ficar a conhecer e perceber a jogabilidade deste título, temos a opção de escolher entre dois modos de jogo: Modo Campanha e Multiplayer. Ao modo Campanha corresponde a história do jogo, e é aqui onde Titanfall se mostra definitivamente fiél à sua premissa. Como jogo online que é, todas as missões do modo história também o são. Quer isto dizer que ao longo de todo este modo vamos estar em constante conflito com outros jogadores. Titanfall é um jogo online e não se fala mais nisso. Este modo, além de oferecer uma explicação sobre o conflito entre as forças da Militia e do IMC, serve mais como um tutorial extensivo. É aqui que devemos aplicar tudo o que aprendemos previamente, antes que nos sintamos confortáveis o suficiente para prosseguir com o modo Multiplayer. Apesar de ser totalmente online, estarão também presentes algumas componentes single-player, como cinematics, briefings (antes e durante as missões) e eventos  pré-definidos que vão dar mais sentido a toda a história.

O elevado nível de grafismo é a primeira coisa que salta à vista. Titanfall prometeu, além de uma inovadora jogabilidade, cenários deslumbrantes e sem dúvida que não ficou aquém. Visualmente é um deleite para a vista e disparar, correr, saltar e explodir com tudo o que mexe nunca foi tão aliciante. Os cenários são bastante diversificados e também incrivelmente detalhados. Enquanto que num podemos ter como fundo um cenário espacial, já noutro podemos encontrar criaturas de proporções jurássicas que até nos deixam com pena de não ser possível interagir com elas.

Titanfall Análise Review

No entanto, mais do que no grafismo é na jogabilidade que este título mais dá provas de inovação. Em Titanfall assumimos o papel de um Piloto. Quer dizer que somos enviados para um campo de batalha onde a sobrevivência fala mais alto, enquanto aguardamos que aquilo que vamos pilotar fique disponível. Para isso temos ao nosso dispor um Jet-Pack que nos permite alcançar alturas bastante elevadas, isto tanto facilita como diversifica a nossa interacção com as estruturas que se encontram nos cenários. A combinar com o Jet-Pack podemos também, ao estilo Parkour, caminhar, por breves instantes, pelas paredes o que nos oferece um vasto leque de abordagens diferentes, tanto de evasão como de ataque.  Para derrotar os nossos adversários temos acesso a um vasto arsenal de armas, desde uma pistola inteligente, cujos tiros seguem um trajecto directo para o nosso adversário, passando por metralhadoras, caçadeiras, granadas, enfim, temos tudo para todos os gostos. O nosso piloto pode também ser alvo de uma enorme costumização, na qual podemos determinar o sexo, habilidades especiais (como camuflagem e visão Raio-X, por exemplo), e armas (primária e secundária), já mencionadas em cima.

A nossa maior arma é, no entanto, aquela que oferece o seu nome a este título. Falo claro dos Titans. À medida que vamos sobrevivendo no campo de batalha surge a opção de chamar estas imponentes máquinas que consistem em enormes Mechs ao estilo do que podemos encontrar, por exemplo em Gundam. Podemos chamá-lo escolhendo o sítio onde ele aterra e somos nós que nos deslocamos até ele ou utilizamos o piloto automático para o Titan se deslocar até nós. Existem ao todo três classes de Titan que variam em termos de peso, leve, médio e pesado. São eles o Atlas, o Ogre e o Stryder. No entanto, se quisermos podemos ser nós a criar o nosso Titan. Aqui podemos escolher qual a arma que o nosso poderoso Mech vai carregar e, principalmente, quais as habilidades que levará para o campo de batalha. Estas são várias e vão sendo desbloqueadas à medida que vamos evoluindo ou cumprindo os desafios que surgem nos cenários em que estamos envolvidos. Por muito que nos sintamos invencíveis a comandar esta imponente máquina, não nos podemos esquecer dos pilotos inimigos que com os seus Jet-Packs podem saltar para as costas do nosso Titan e aplicar uma dolorosa sabotagem.

TitanFall Analise Review

Como se isto não bastasse, para nos ajudar no campo de batalha e também para o tornar mais diversificado e inesperado, temos também acesso a uma colecção de cartas. Estas são várias, bem como os seus efeitos. Umas dão acesso a armas principais mais poderosas, outras mudam a nossa habilidade especial, e outras, por exemplo, permitem-nos chamar o nosso Titan mais cedo do que o habitual. Há para todos os gostos, mas tenham em conta que estas cartas são gastas quando as utilizamos e que o seu efeito dura até morrermos.

Quando nos sentirmos mais confiantes com o nosso desempenho em combate, espera-nos o modo Multiplayer. Este extende-se em cinco modos difererentes: Attrition que corresponde ao tradicional Team Deathmatch; Pilot Hunter, semelhante ao anterior mas aqui as mortes que contam são apenas as dos pilotos; Hardpoint Domination, aqui temos de capturar e defender pontos específicos do mapa; Last Titan Standing, neste modo todos os jogadores começam o combate dentro do seu Titan, mas têm apenas uma vida; Capture de Flag, onde temos de capturar a bandeira inimiga e levá-la para a nossa base.

Os cenários, além dos inimigos jogadores, estão também complementados por NPCS. Apesar de ser fácil detectar quem é um jogador real e quem não é, um facto é que estes soldados controlados pela IA do jogo fazem parte de objectivos que, quando cumpridos, nos garantem mais pontos no final da partida. É também a matar estes NPCS que podemos adquirir novas cartas que mais tarde poderemos vir a utilizar. À medida que vamos progredindo no modo Multiplayer, vamos ganhando pontos de experiência que nos ajudam a evoluir e desbloquear novas componentes para o nosso piloto e, claro, para o nosso Titan.

Algo que estava em falta, mas que já se encontra em fase Beta, são as Private Matches que nos permitem como o nome indica, criar as nossas próprias salas de jogo com um grupo restrito de pessoas. Trocando por miúdos, jogar com os nossos amigos sem que ninguém venha estragar a festa.

Titanfall vem assim mostrar que o género FPS ainda tem muito para dar. Repleto de acção e adrenalina e complementado por uma jogabilidade inovadora, este é um jogo que vai fazer as delícias dos fãs do género. Assim sendo, de que é que estão à espera? Quanto a mim, se me permitem, tenho ali umas contas a ajustar com um cavalheiro. Com licença.

Jogo disponível para X-Box, X-Box One e PC

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This