Tom Barman @ Portugal

A primeira paragem foi o OpArt em Lisboa. Segue-se o Porto e Sesimbra. Fiquem a par do que vai passando pelo gira-discos do Belga.

Uma das figuras mais importantes na cultura indie europeia está em Portugal na condição de DJ. A tour nacional de Tom Barman começou quinta-feira, dia 23, no OpArt em Lisboa e termina no próximo Sábado em Sesimbra. Descubram aquilo que se passou em Lisboa e em Sesimbra, num “work in progress”, que só fica completo no próximo Domingo.

23 de Junho – Lisboa

A capital foi a cidade escolhida para dar inicio à tour nacional do vocalista dos dEUS e o OpArt nas docas funcionou como sala de estar para Tom Barman estar com os seus amigos. Situado bem perto da ponte 25 de Abril, este espaço foi sem dúvida uma óptima escolha para a estreia de Barman em Portugal, criando um óptimo ambiente, tanto no interior como no exterior do bar.

Enquanto Tom Barman passeava pelo Bairro Alto, os espanhóis Badlover & Hysteria Iberika abriam as hostilidades nas Docas, aquecendo o ambiente para aquilo que vinha a seguir. Depois da passagem pelos pratos de um dos vencedores do passatempo realizado em parceria com a Antena 3, o belga tomou conta da pista de dança. Eram duas e meia da manhã e estavam algumas dezenas de fãs, ansiosamente à espera, colados ao balcão do DJ.

Embora a assistência possa ter ficado um pouco àquem das expectativas mais optimistas, o ambiente era óptimo e quase “familiar”. Bastante descontraído e divertido, Barman começou o set em crescente, passando por alguns hits do electro “contemporâneo”, que têm invadido as pistas das discotecas da moda, para depois fazer uma viagem por algumas propostas menos imediatas mas muito interessantes.

”Tu é que sabes Tom”, dizia um dos fãs mais eufóricos, bem junto ao balcão onde estava Tom Barman. Essa frase exemplifica aquilo que se sentia com a presença do belga atrás do gira-discos; um profundo respeito e a certeza que a música estaria muito bem entregue durante toda a noite.

Alguns problemas de som nas colunas exteriores do OpArt não foram suficientes para “acalmar” os presentes que se encontravam em total euforia dentro da pequena pista de dança.

Quando grande parte da pista pensavam que seria uma noite de “electro”, Barman deu as voltas ao set e, à boa maneira belga, surpreendeu com incursões nos mais variados géneros. A viagem começou com o hip-hop dos Beastie Boys, passou pelo remix de Bob Marley, pelo rock dos Franz Ferdinand e pela “boa onda” dos Roots. Pelo meio ficou uma infeliz passagem pelo hip-hop comercial de Nelly que, embora tenha servido para abanar alguns corpos estrangeiros presentes, não pareceu encaixar de forma alguma no espírito da noite.

Este foi o primeiro eclético set do belga em território nacional, que deverá ser bastante semelhante aos próximos dois, marcados para hoje, dia 24 de Junho, no Bla Bla no Porto e no Sábado no Grémio em Sesimbra.

25 de Junho – Sesimbra

Depois de uma noite a meio gás na invicta, reflexo da ressaca da noite de S.João, a vila de Sesimbra foi a anfitriã da última actuação de Tom Barman em Portugal.

O Grémio tem conseguido criar um certo culto na vila. Todos os meses podemos ver caras conhecidas que têm criado uma comunidade de pessoas, ansiosas por algo diferente numa vila que parecia parada a nível cultural, particularmente no que diz respeito à música.

A noite que marcou a passagem do vocalista dos dEUS por Sesimbra não foi diferente. Para além dos muitos fãs interessados em vê-lo e guardar a sua imagem numa fotografia, existia uma certa curiosidade para descobrir o que vale Tom Barman atrás do gira discos. O grémio encheu, dançou, mas não delirou.

Com um set um pouco diferente daquele apresentado no OpArt, Tom Barman manteve-se fiel à electrónica, não deambulando pelos caminhos do rock e hip-hop como fez em Lisboa. Quem o viu apenas em Sesimbra, fica com a ideia que o seu leque de influências é um pouco “reduzido”, pois Barman manteve-se no trilho do electro e do “bom” house durante grande parte da sua actuação.

Esta escolha mais electrónica para o set de Sesimbra tem muito a ver com a capacidade de Barman em perceber o público que tem à sua frente, bem como o local onde está a actuar. O Grémio pedia dança e o Tom serviu a matéria-prima necessária para saciar a “fome” electrónica do público.

Embora tenha sido uma actuação bem sucedida, houve alguns momentos monótonos, causando um certo desinteresse a alguns dos presentes que aproveitaram para colocar a conversa em dia e beber mais uns copos. A noite terminou com o dj set dos Elecktro Area.

Em suma, a passagem de Tom Barman por Portugal foi bastante positiva, cheia de grandes momentos e veio comprovar a diversidade e qualidade de influências presentes num dos maiores ícones da música indie mundial. Só nos resta ficar à espera do novo disco dos dEUS (data prevista: 12 de Setembro) e dos concertos de apresentação do álbum que possivelmente irão passar por Portugal no final deste ano.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This