camilla-lackberg

“Uma gaiola de ouro” de Camilla Lackberg

Perfume de vingança

É impossível dissociar o nome da escritora sueca Camilla Lackberg da série Fjällbacka, cuja protagonista, Erik Falk, é um dos ícones da literatura policial nórdica. E desde a edição de A Princesa do Gelo, livro de estreia de Lackberg que invadiu as livrarias portuguesas em 2010, que a escritora amealhou milhões de vendas e viu a sua obra traduzida em 60 países.

Mas, além da escrita, Camilla Lackberg tem-se afirmado com uma empresária de sucesso, sendo uma das fundadoras da Invest In Her, uma empresa que centra o seu dinamismo no empreendedorismo no feminino e que tem como um dos objetivos lutar contra as diferenças salariais entre géneros.

E é este um dos motes que inspira Uma gaiola de ouro (Suma de Letras, 2019), o mais recente livro da escritora sueca, que se assume completamente independente das aventuras de Erika Falk, e versa sobre uma poderosa história de vingança.

No centro da trama está o casal Jack e Faye, ele, um empresário de sucesso e uma referência no seio da alta sociedade sueca; ela, uma mente brilhante dos negócios, mas que abdicou de uma carreira em prol de uma vida dedicada à família.

Tudo corre normalmente, entre luxos, futilidades e jogos de poder, mas Faye sente-se encurralada entre a necessidade de agradar a marido e filha, vivendo refém da situação e de si própria, e em resgatar uma nesga de amor-próprio. Mas há mais fantasmas no universo de Faye, principalmente um passado atormentado pela trágica morte do irmão.

Até que tudo se precipita quando Jack a trai com uma mulher mais nova. Humilhada e à beira da ruína, Faye vê o mundo desabar. Num ápice, fica sem casa, família e esperança no futuro. E a única arma que lhe resta é destruir o homem que um dia amou, mas que é agora o seu carrasco.

Entre presente e flashbacks de um passado violento, que remete para infância de Faye, e o início da relação desta com Jack, Camilla Lackberg constrói uma competente narrativa em forma de thriller, assente num ritmo interessante e que revela o lado mais obscuro de ambos os personagens, tomando a autora a liberdade de “legitimar” o sentimento de vingança da protagonista, dando-lhe a oportunidade de, finalmente, assumir o papel de uma empresária de sucesso, ainda que sem grandes escrúpulos, e de mulher sempre pronta para desfrutar dos prazeres da carne sem compromissos.

Tratando-se de um livro escrito por uma mulher, cuja protagonista é uma mulher, não é de estranhar que também sejam os personagens femininos os mais interessantes. Nesse capítulo os destaques óbvios vão para Chris, a inseparável e independente amiga de Faye, e Kerstin, uma desconhecida que ajuda Faye a recuperar a dignidade.     

Não sendo um livro tão incisivo comparativamente com outros da autora sueca, e em alguns momentos algo previsível, Uma gaiola de ouro prende o leitor até às últimas páginas de forma a descobrir qual o desfecho que o aguarda, sendo um bom e descomprometido exercício de leitura, recomendado não só aos fãs de Camilla Lackberg mas também para quem gosta de um viciante page turner.  



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This