VERÃO COM JACQUES TATI – PROGRAMAÇÃO JÁ DISPONÍVEL

Verão é sinónimo de férias, calor, festa e alegria. Por isso, e mesmo a propósito, a LEOPARDO FILMES e a MEDEIA FILMES apresentam este Verão, pela primeira vez em Portugal, a obra integral de JACQUES TATI, em VERSÕES DIGITAIS RESTAURADAS. No ESPAÇO NIMAS, em Lisboa, esta festa com JACQUES TATI começa no dia 20 de Agosto; no Porto, o TEATRO MUNICIPAL CAMPO ALEGRE reabre a 1 de Setembro para receber a obra do cineasta que fascina todas as gerações. A programação do ESPAÇO NIMAS já está disponível AQUI.

“Quero que as crianças se divirtam no cinema tal como eu me divertia no circo quando era pequeno… devemos criar um clima verdadeiramente festivo…”, afirmava JACQUES TATI. E os seus filmes são um reflexo disso mesmo. Realizador, actor e argumentista, JACQUES TATIcaracteriza-se pelo imaginário hilariante que cria em cada uma das suas obras. Neste programa, será possível ver as seis longas-metragens deste mestre francês da comédia – HÁ FESTA NA ALDEIA (1949), AS FÉRIAS DO SR. HULOT (1953), O MEU TIO (1958), PLAYTIME – VIDA MODERNA (1967), SIM, SR. HULOT/ TRAFIC (1971) e PARADE (1974) – e ainda sete curtas-metragens inéditas comercialmente em Portugal.

Um dia de festa, é isso que JACQUES TATI propõe nesta sua primeira longa-metragem, HÁ FESTA NA ALDEIA, que é também um desenvolvimento da curta-metragem ESCOLA DE CARTEIROS. TATI é François, o carteiro local que faz o melhor para seguir os seus colegas americanos, após ser ridicularizado pela população. Esta versão restaurada é feita a partir de uma cópia a preto-e-branco. HÁ FESTA NA ALDEIA esteve Em Competição no Festival de Veneza, em 1949, e venceu o Prémio Internacional para Melhor Argumento.

Após HÁ FESTA NA ALDEIA, JACQUES TATI resistiu à tentação de voltar a fazer um filme com a personagem do carteiro François, já dono de uma grande popularidade, e fez surgir aquela que seria a sua personagem mais popular, o SR. HULOT, um indivíduo propenso a pequenos acidentes, no filme AS FÉRIAS DO SR. HULOT. No Hôtel de la Plage, as pessoas desfrutam das suas férias calmamente até que o SR. HULOT vem perturbar esta ordem. Para gáudio das crianças, esta personagem semeia involuntariamente o caos nesta pequena sociedade de veraneantes demasiado sérios. AS FÉRIAS DO SR. HULOT esteve Em Competi&cced il;ão no Festival Cannes em 1953 e três anos depois foi nomeado para os Oscars, na categoria de Melhor Argumento.

Em O MEU TIO, o casal Arpel tem o seu próprio universo ordenado e controlado, no qual não há espaço para a brincadeira e o humor. E o filho Gérard aborrece-se de morte neste cenário. É então que irrompe o irmão da senhora Arpel, o tio, o SR. HULOT. Personagem inadaptada, habituada ao seu mundo caloroso, vai, para delírio do sobrinho, virar tudo de pernas para o ar, num filme hilariante. Em 1958, O MEU TIO venceu o Prémio Especial do Júri no Festival de Cannes e em 1959 foi distinguido com o Oscar para Melhor Filme Estrangeiro.

Considerado pelo British Film Institute um dos 50 Melhores Filmes de Todos os Tempos e tido em conta por muitos como a obra-prima de JACQUES TATI, PLAYTIME – VIDA MODERNA traz-nos o inesquecível SR. HULOT numa extraordinária sátira à tecnologia industrial e à vida numa grande cidade, Paris.

Em SIM, SR. HULOT (TRAFIC no original), o SR. HULOT inicia uma aventura pelas autoestradas da França e da Bélgica enquanto se dirige para Amsterdão, onde irá exibir o seu protótipo de automóvel. Uma série de avarias e problemas mecânicos torna o percurso cheio de peripécias.

Feito para a televisão sueca, grande parte em vídeo, PARADE é a última longa-metragem deJACQUES TATI e apresenta-se como um tributo ao mundo do espectáculo, ao mesmo tempo que evoca o início da própria carreira do realizador francês. Ao longo de PARADE, adultos e jovens entusiasmam-se, unidos pelo espectáculo à sua frente. Desde o início, duas crianças demonstram, através de trocas de olhar, a alegria de estarem juntas. O público participa directamente no espectáculo de circo enquanto TATI, o mestre-de-cerimónias, dirige e anima esta representação.

Este programa inclui ainda as curtas-metragens PROCURA-SE BRUTAMONTES (1934), de Charles Barrois, DOMINGO ANIMADO (1935), de Jacques Berr, CUIDA DO TEU GANCHO ESQUERDO (1936), de René Clement, A ESCOLA DE CARTEIROS (1946), de Jacques Tati,AULAS NOCTURNAS (1967) de Nicolas Ribowski, ESPECIALIDADE DA CASA (1976), de Sophie Tatischeff e FORÇA, BASTIA (1978), de Jacques Tati e Sophie Tatischeff.

Em PROCURA-SE BRUTAMONTES, JACQUES TATI assina o argumento e interpreta um aspirante a actor que se vê envolvido num combate real com um campeão de wrestling. O argumento de DOMINGO ANIMADO é também assinado por JACQUES TATI, que protagoniza a curta-metragem juntamente com o palhaço Rhum. JACQUES TATI é Roger, um pretendente a lutador de boxe que se vê de repente num ringue a sério, em CUIDA DO TEU GANCHO ESQUERDO. A ESCOLA DE CARTEIROS acolhe François (JACQUES TATI), num posto de correios rural, onde três carteiros aprendem cada passo do ritual que envolve a d istribuição do correio. Esta curta-metragem realizada, escrita e interpretada por JACQUES TATI serviu de inspiração para HÁ FESTA NA ALDEIA e para a personagem do carteiro. AULAS NOCTURNAS, rodada nos estúdios de PLAYTIME – VIDA MODERNA, mostra uma aula na qual dois alunos aplicados aprendem várias matérias. SOPHIE TATISCHEFF, filha de JACQUES TATI, assina a realização de ESPECIALIDADE DA CASA, e volta à pequena de localidade de Sainte-Sévère-sur-Indre, três décadas após HÁ FESTA NA ALDEIA, para retratar uma pastelaria frequentada apenas p or homens. Em FORÇA, BASTIA, pai e filha trabalharam em conjunto para documentar a loucura que tomou conta da equipa e adeptos do Sporting Club de Bastia, durante a final da Taça UEFA, em 1978.

Bilhetes: 6€ Segunda-feira: 4€
Para os menores de 15 anos, os bilhetes têm o custo de 3€, para todas sessões. Na compra de quatro bilhetes, oferta do quinto.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This