rdb_header_20

Vinte, 20, XX

Cultura da pura e longe da amargura.

Ocorrido em pleno feriado nacional, no dia 10 de Junho, o Vinte, 20, XX motivou o público portuense, cansado e ressacado da noite anterior, a comparecer sem arrependimentos ao evento que reuniu vinte cartazes, vinte bandas e vinte djs no Plano B, no Porto. As litações dos presentes (e resistentes) foram alegria e boa disposição, que resultaram em mais uma noite de grande convívio e, nesta ocasião, com um toque cultural.

As baquetas marcam o tempo: um, dois, três, vai! O concerto começa: vozes rasgam o tecto, dedos percorrem minuciosamente as cordas das guitarras e punhos lançam-se violentamente aos tambores da bateria.

Lululemon actua. Sala cheia, headbanging. Check. Do outro lado, passando pelos sofás que albergam as pernas mais fatigadas e chegando à sala dos djs, Fabulosa Marquise agita os ânimos com “From Disco to Disco” de Whirpool Productions. Check. No piso de cima, chegam mais curiosos que ao longo do corredor inicial contemplam as instalações apresentadas e também, os vinte cartazes construídos especialmente para a segunda edição do Vinte, 20, XX, expostos na sua maioria na área de café do Plano B. Check.

Acompanhando as performances musicais está, em cada sala, um grande monitor que anuncia o tempo que cada um dispõe para actuar. As bandas, escoltadas pelos seus instrumentos, passam a cada dez minutos pelo meio do público. Tudo certo, não há que enganar.

Inspirado no DVD “40 Bands, 80 minutes” – filme que relata 40 concertos, cada um com a duração de dois minutos, ocorridos no célebre bar The Smell, em Los Angeles –, o Vinte, 20, XX “por culpa da disponibilidade dos intervenientes, correu muitíssimo bem”, afirma Joaquim Durães, com uma calma de fazer inveja a qualquer um que prepare um evento.

Organizado pelo Plano B, Lovers & Lollypops, Concorrência e Bolos Quentes, cada entidade foi responsável por uma parte. Sendo assim, a Lovers & Lollypops tratou das bandas, Pedro Santos da Concorrência dos djs, o atelier Bolos Quentes dos cartazistas e o Plano B da gestão do espaço. Este ano, a revista Vice foi o media partner da iniciativa e responsável pela cobertura mediática.

Os artistas, seleccionados de acordo com a sua presença no meio artístico portuense e associação à Lovers & Lollypops, eram muitos, e enquanto uns aguardavam a sua hora para tocar, outros já se mostravam relaxados e a desfrutar do certame.

Joaquim Durães, produtor do Plano B e da Lovers & Lollypops, vulgarmente conhecido por Fua, explica que os critérios “são simples, passam por escolher artistas que de alguma forma estão ou estiveram pontualmente ligados à Lovers & Lollypops, assim como outros pelos quais nutrimos respeito e que, mais tarde ou mais cedo, colaborarão connosco”.

Nesta edição, cada banda deu, durante os seus quinze minutos de antena, tudo por tudo de forma intensa e envolvente. Elas foram: Africa Sexy, Beneath the Earth, Bleeders, Botswana, Claiana, Dreams, Hill, Indignu, Karaoke Mum´s Gay Terror Rampage, Lululemon, Mary Me!, Mr. Miyagi, Rudolfo, Slowmotion, The Never Mades, Tigre Deficiente, Two White Monsters Around A Round Table e Unzen Pilot.

Os vinte responsáveis pelo pitch e corpos dançantes foram: Carla Capela, Carlos Moura, Fabulosa Marquise, Francisco Abrunhosa, Ina Soda, Jorge Naper, Le Bandido, Marçal dos Campos, Maria, Maria Gambina, Pedro Pinto, Pedro Santos, Sim. On, Sónia Carvalho, Tam, Teo, Tilinhos, Vicente Abreu e Xico Ferrão.

Por fim, os cartazes criados para o Vinte, 20, XX, sugerindo ideias de promoção ao evento, foram da autoria de: Ana CMYK, André Coelho, Ânia Carolina Gonçalves, Calhau, Dayana Lucas, Dinis Santos, Eduardo Aires, Eliana Bernardo, Filipe Cardigos Oliveira, Isabel Carvalho, Isabel Duarte e Maria João Macedo, Miguel Carneiro, Miguel Carvalhais, Nuno Coelho, R2, Ricardo Lafuente, Rui Vitorino Santos, Virgínia Valente, Vitor Ferreira e VivóEusébio.

Graças ao trabalho de Joaquim Durães o Porto tem recebido nomes importantes da cena indie pop e rock. No entanto, ainda que a noite portuense se encha de gente actualmente, o profissional lamenta que “o público nos concertos que promovemos, nunca foi tão escasso como em 2010. Crise? Excesso de oferta? Falta de curiosidade? Não sei responder, mas este facto leva a Lovers & Lollypops a reflectir e a traçar novos caminhos”.

Apesar disso, tal não sucedeu com a iniciativa Vinte, 20, XX. Oxalá todas corressem assim, tal como referiu anteriormente o produtor do Plano B.

Depois de, em duas edições, terem participado 40 bandas, 40 djs e 40 cartazistas Joaquim Durães assegura “pretendo continuar em 2011 e lanço desde já o desafio para quem quiser contactar e participar na edição do próximo ano”.

Imagem por Eliana Bernardo



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This