Warm-Up Vodafone Paredes de Coura – Dia #1 (12.04.2013)

Warm-Up Vodafone Paredes de Coura | Dia #1 (12.04.2013)

Com lotação esgotada, a Praça D. João I, no Porto, encheu para o primeiro de dois dias de música

A primeira edição do Warm-up Vodafone Paredes de Coura começou ontem no centro da cidade do Porto. O festival minhoto, que comemora este ano o seu 21º aniversário (desta feita com a Vodafone como patrocinador oficial, pela primeira vez, após ter tido as honras do palco secundário o ano passado), começou assim mais cedo com a música a invadir a cidade Portuense.

Desde o dia anterior ao início do warm-up que se sabia que os bilhetes se encontravam esgotados, tanto o passe de dois dias, como os bilhetes diários, mas mesmo assim várias pessoas ainda tentavam comprar bilhetes à porta; enquanto outras, por variados motivos, aproveitavam para vender os seus, alguns a um preço mais baixo do que o estipulado (15€ o bilhete diário, 25€ o passe de dois dias).

Eram 20h30 quando os lisboetas Capitão Fausto subiram ao palco para abrir, oficialmente, este evento. Ainda com alguma luz solar a entrar pela tenda, apesar de esta se encontrar parcialmente vazia, a banda portuguesa apresentou-se em bom plano, conseguindo cativar o público que se encontrava presente enquanto, pouco a pouco, a tenda começava a ficar mais composta.

Os Veronica Falls foram a banda que se seguiu. Após terem passado pela cidade do Porto em 2012 para actuarem no Optimus Primavera Sound, a banda inglesa voltou, desta vez para promover o seu mais recente trabalho – “Waiting For Something To Happen” – que foi lançado no passado mês de Fevereiro. As vozes em uníssono de Roxanne Clifford e James Hoare conseguiram mostrar quão boa pode ser a junção de uma voz masculina com uma feminina, dando um concerto sólido, já com muita gente nas filas da frente a apreciar o concerto.

The Wedding Presents subiram ao palco pouco depois das 22h30 com David Gedge e companhia a mostrarem o seu indie rock e, principalmente, o seu mais recente trabalho, “Valentina”. A banda formada em 1985 mostrou que ainda tem muito para mostrar, apesar de o concerto ter passado quase despercebido a muitos dos que se encontravam nas imediações da tenda, que aproveitaram para vir cá fora beber uns copos ou conversar mais calmamente com os amigos.

Para Everything Everything, banda que sucedeu os The Wedding Presents, a tenda na praça D. João I já se encontrava cheia. Os britânicos, que também vão actuar no festival Vodafone Paredes de Coura no dia 15 de Agosto, conseguiram com que, finalmente, o público se começasse a mexer, abrindo o concerto com «Cough Cough», primeiro single do seu último álbum, “Arc”, e desde logo deixaram boas indicações sobre o que seria o resto do concerto. Com músicas que por vezes nos fazem recordar os Vampire Weekend, os Everything Everything deram um concerto que foi bem apreciado pela audiência, onde não faltaram músicas como «Kemosabe» ou «Duet», e deixou boas expectativas para o concerto que vão dar na relva do festival minhoto. No final do concerto, o público aclamou-o em uníssono, ficando à espera do que seria o melhor concerto da noite – No Age.

A dupla norte-americana constituída por Dean Allen Spunt e Randy Randall voltou a Portugal, após um brilhante concerto no Festival Paredes de Coura no ano de 2011, e não desapontaram. Apesar de longe do brilhantismo do concerto em terras minhotas (muito devido ao facto de o ambiente ter sido totalmente diferente do que o que se vive em Paredes de Coura), os No Age deram um concerto energético, onde não faltou o mosh habitual, em doses muito moderadas, e onde não faltaram os seus temas mais conhecidos: «Fever Dreaming» e «Everybody’s Down». Pelo meio, houve ainda tempo para uma invasão de palco, na qual o segurança automaticamente interviu para o descontentamento da banda, antes de Randy Randall se atirar para os braços do muito público que se encontrava na fila da frente.

Ouviram-se as últimas batidas dos No Age e o primeiro dia do warm-up termina. Devido a ser organizado numa tenda no meio da cidade do Porto, não há after-hours (coisa que não pode faltar no festival minhoto) e, por volta das 02 horas, já toda a gente se encontra no exterior da tenda.

O dia de hoje conta com Sensible Soccers, Stealing Sheep, Linda Martini, Omar Souleyman, Lee Ranaldo e ainda a actuação das 02 às 04 horas de Matias Aguayo, no que promete ser uma noite bastante animada, em plena Praça D. João I.

Fotografia por Francisco Almeida. Reportagem do segundo dia aqui.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This