Woodkid | “The Golden Age”

Woodkid | “The Golden Age”

O realizador de videoclips de Katy Perry, Taylor Swift e Lana del Rey lançou finalmente o seu primeiro LP, e está ao nível do seu talento como director

O nome Woodkid, para muitos, pode ainda ser desconhecido, mas Yoann Lemoine – nome real do francês – é um nome já bem conhecido do mundo da música, se bem que não pelas suas músicas, mas pelos seus vídeos. Quem é que não está familiarizado com vídeos como «Teenage Dream» de Katy Perry ou «Born to Die» e «Blue Jeans» de Lana del Rey? Pois bem, foram os três realizados por Yoann, que lhe valeram várias nomeações para prémios como, por exemplo, os UK Music Video Awards, onde venceu com «Born to Die».

Para além disto, Yoann trabalhou com Sofia Coppola, no filme “Marie Antoinette”, e com Luc Besson em “Artur e os Minimeus”. Como se não chegasse, venceu ainda prémios em Cannes para a publicidade que realizou sobre a prevenção do vírus HIV. Até que, em 2011, se decidiu aventurar como cantor e escritor com o nome de Woodkid.

Woodkid lançou o seu primeiro EP – “Iron” – em Março de 2011 e foi, logo de imediato, um sucesso com o single «Iron» a aparecer no trailer do jogo “Assassin’s Creed: Revelations”, no filme “Hitchcock” e na série “Teen Wolf”.

Dois anos volvidos, Woodkid lança o seu primeiro LP, intitulado “The Golden Age”. Precedido pelo single «Run Boy Run» – realizado pelo próprio e que lhe valeu uma nomeação para melhor vídeo musical nos Grammys de 2013 – o álbum contém 14 faixas, todas elas (à excepção da última) escritas por Lemoine, e apresenta uma sonoridade que varia entre o folk francês, com a utilização de acordeões, e a percursão utilizada de uma forma menos conceptual; de tal forma que já descreveram este trabalho como sendo neofolk ou pop barroco.

O segundo single – «I Love You» – foi lançado pouco antes do álbum e também ele conta com a realização de Lemoine. Apesar de ser um excelente primeiro trabalho, ao longo dos 48 minutos de duração do álbum fica-se com a sensação de que, por vezes, a voz de Lemoine e as suas letras acabam por se perder no meio da força instrumental que as músicas têm, podendo tornar-se num registo um pouco cansativo.

No entanto, é ao mesmo tempo um álbum que mostra maturidade e reflecte o trabalho desenvolvido por Lemoine nos passados três anos. Para quem ainda não conhece, os três singles continuam a ser o porta-estandarte do francês – «Iron», «Run Boy Run» e «I Love You» -, para quem já conhece o trabalho mas ainda não teve oportunidade de ouvir o álbum, a faixa com o nome do álbum – «The Golden Age» – e «Ghost Lights», são igualmente músicas a não perder.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This