THE-KRANSKY-SISTERS-(imagem-01)

Convites duplos para The Kransky Sisters, dia 10 de Março, no Theatro Circo, em Braga

De onde são naturais The Kransky Sisters?

5 CONVITES DUPLOS PARA THE KRANSKY SISTERS, DIA 10 DE MARÇO, ÀS 21H30, NO THEATRO CIRCO, EM BRAGA

The Kransky Sisters

As The Kransky Sisters são uma família de três solteironas, muito estranhas, naturais de Esk, uma localidade rural australiana. Mourne, Eve e Dawn Kransky criam um ensemble musical estranho e encantador.

Um espectáculo que tem sido aclamado e premiado por onde tem passado, em estreia absoluta em Portugal.

O espectáculo é desenvolvido no âmbito do projecto MUSA – Ciclo no Feminino, co-financiado pelo QREN.

Vencedoras do Prémio Herald Angel do Bank of Scotland no Festival de Edimburgo 2006, Prémio Age Critic’s (Melbourne), Prémio Australian Green Room para Melhor Grupo de Cabaret, Nomeação Barry Award, do prestigiado Prémio Mo de Entretenimento (Austrália) e do Prémio de Teatro de Sydney.

Depois de temporadas esgotadas na Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido e outros países da Europa, as excêntricas irmãs Mourne, Eve e Dawn Kranksy aventuram-se mais uma vez a sair do mundo privado da sua casa de família em Esk, no Queensland rural, com as suas histórias divertidamente sombrias, harmonias ritmadas e versões pouco convencionais de canções populares que ouviram no seu rádio. Fazendo-se acompanhar por um teclado dos anos 60, uma tuba, uma serra musical, uma panela de cozinha, uma escova de dentes e tamborins, estas três talentosas mulheres combinam os seus talentos eclécticos para cobrir canções que vão dos Eurythmics aos Talking Heads, dos AC/DC aos Steppenwolf. A combinação do seu comportamento estranho, aspecto de vistas curtas, diálogos soberbamente engraçados e tom sedutor e hilariante, torna o seu espectáculo altamente divertido. A não perder!

“As Irmãs Kransky são uma máquina bem oleada. O seu humor divertido, expressões impassíveis e interpretação taciturna de canções dos AC/DC aos Eurythmics provou ser a receita perfeita para o riso.”

Sunday Times Review (Perth, Austrália)



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This