XIII Festival Internacional BD Beja

XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja

Beja é o local ideal para este festival que junta leitores, editores e artistas num espaço que promove o convívio e a descoberta.

Na passada sexta-feira, 26 de Maio, teve início a 13º edição do Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja.

Este festival termina a 11 de Junho, mas o ponto alto é durante o primeiro fim-de-semana, com a inauguração de exposições, sessões de autógrafos, mesas redondas, lançamentos de livros e concertos desenhados.

Este ano o festival conta com 18 exposições divididas por 6 espaços no centro histórico da cidade.

Entre os autores nacionais expostos está Jorge Coelho, ilustrador/cartoonista que actualmente desenha para o mercado norte-americano. Na exposição pode ver-se o mais recente trabalho de Jorge para a Marvel com as pranchas da actual série do Rocket Racoon (personagem que faz parte da versão cinematográfica dos Guardiões da Galáxia).

Exposição Jorge Coelho

Exposição Jorge Coelho

 

Sofia Neto é outra autora portuguesa em exposição cujo o trabalho desperta a atenção. Podem ser vistos originais das páginas dos seus livros editados pela Mundo Fantasma “Down Below” e “Eco”. Este ano Sofia Neto recebeu o Prémio Geraldes Lino pelo seu trabalho como autora de fanzines e edições alternativas.

Internacionalmente destacou-se a dupla de autores Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg. Esta dupla teve em 2016 a edição em português do seu livro “Astrálogo” pela editora G.Floy e agora em Beja esteve presente para o lançamento de “A Leoa, um retrato de Karen Blixen”. Os autores ainda deram duas conferencias, onde falaram sobre o trabalho em volta de “A Leoa, um retrato de Karen Blixen”, o que os levou a fazer este livro e o que foram descobrindo no processo. Na exposição presente durante o festival estão originais do “Astrálogo” e de “A Leoa, um retrato de Karen Blixen”.

Exposição Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg

Exposição Anne-Caroline Pandolfo e Terkel Risbjerg

Apesar de ainda não ter os seus livros traduzidos em Portugal a autora Judith Vanistendael deu uma pequena conferência onde falou sobre o seu percurso. Judith foi uma boa surpresa, quer pelo seu estilo – que gosta de privilegiar a técnica e usar os materiais que melhor servem a história -, quer pelo tom biográfico com que conduz a narrativa. O trabalho desta autora também está em exposição em Beja.

A italina Grazia La Padula esteve em Beja para apresentar o seu primeiro livro publicado em português pela Kingpin Books “Jardins de Inverno”. Um estilo fresco e original que também pode ser visto numa exposição que lhe é dedicada.

Durante este fim-de-semana foram lançados cerca de 10 livros, prova que a edição de banda desenhada em Portugal está a crescer e a conquistar novos públicos.

Foram três dias em que a banda desenhada ocupou ruas, cafés, restaurantes e a programação preencheu todo o tempo do visitante.

O festival continua até dia 11 de Junho e até lá é possível visitar as exposições, frequentar workshops ou ir ao Encontro de Urban Sketchers – Beja.

Para consultar toda a programação aceda ao site oficial do festival.

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This