rdb_kino2012_header

O KINO 2012 chegou ao fim

Os destaques da última edição do festival de cinema de expressão alemã.

Terminou na passada sexta-feira, dia 3 de Fevereiro, mais uma edição do KINO, que trouxe a Lisboa os melhores filmes de expressão alemã. As sessões de abertura e encerramento, embora com géneros distintos, encheram o cinema São Jorge.

A iniciar a mostra, “Almanya – Bem-vindos à Alemanha”, uma comédia de Yasemin Samdereli. “O quê ou quem sou eu verdadeiramente: alemão ou turco?” é esta a interrogação que serve de ponto de partida ao filme, que retrata a história de uma família turca que emigra para a Alemanha, deixando para trás os costumes de Anatólia, bem diferentes daqueles que encontram neste país. O choque cultural é inevitável neste contacto inicial com a cultura alemã e as situações mais cómicas são aquelas que retratam precisamente isso. Para lá da comédia, uma reflexão sobre a forma como as experiências nos mudam e como, em suma, somos o resultado de todas as experiências vividas.

No dia 28 de Janeiro, sábado, o São Jorge encheu-se novamente para “Quem, se não nós?”, escrito e realizado por Andres Veiel. Este filme trouxe até nós a história de Bernward Vesper e Gudrun Esslin, inspirada em factos reais. Na Alemanha do pós-Segunda Guerra Mundial, o medo do fascismo imperava e desenhavam-se algumas ideias radicais de esquerda. Bernward e Gudrun juntam-se, não só na criação de uma editora, mas também na vida amorosa, fortemente perturbada. A mudança para Berlim e a entrada de Andreas Baader na vida de ambos, um extremista, marca a passagem das palavras à acção – os livros não chegam para provocar a mudança. Uma narrativa linear que é ao mesmo tempo o retrato de uma geração, com o hábil recurso a imagens e vídeos da época para uma maior consistência.

“Lollipop Monster” é mais um filme a destacar no certame, tendo sido exibido segunda-feira, dia 30. Duas adolescentes e as suas famílias disfuncionais, as diferenças e a amizade improvável. Uma interessante proposta visual, resultante da mistura de elementos criativos, onde se incluem animações e vídeos caseiros. Sem dúvida, uma óptima estreia de Ziska Riemann.

E se a comédia marcou a abertura do KINO, o seu encerramento ficou a cargo do drama. “Respirar” foi mais uma estreia, a do actor Karl Markovics na realização. O filme é uma representação realista dos dramas interiores de um jovem adulto que vive em conflito consigo próprio e com o mundo.

Em relação às novidades deste ano, a “Next Generation Short Tiger 2011” trouxe uma curta-metragem antes de cada sessão nocturna, com a animação a ser o género predominante.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This