Tertúlia Castelense

No Castelo da Maia existe um espaço que retrata os cafés do início do século XX mas que aposta na nova cultura portuguesa. Fiquem a conhecê-lo.

Se ainda existem muitas pessoas que continuam a pensar que a música portuguesa continua igual à que era feita há dez anos atrás, a cada vez maior existência de bares e espaços onde a nova música portuguesa tem um palco, vem contrariar essa ideia e dar um novo ânimo à criatividade latente de muitos músicos portugueses.

A Tertúlia Castelense surgiu com esse propósito, apoiar a nova música portuguesa e outras actividades culturais de palco e não só. Este espaço é um local privilegiado para a livre discussão de ideias, onde o conceito de tertúlia é revitalizado e trazido para os dias de hoje.

Situada no Castelo da Maia, a Tertúlia Castelense aposta numa programação cultural eclética, promovendo todos os meses diversos concertos e espectáculos, servindo de “serviço público” da região.

Uma das principais características do espaço é a proximidade entre o público e o palco, que cria uma sensação de união bastante interessante em torno da música. No mês de Julho as propostas são variadas e recaem obviamente na nova música portuguesa e no teatro.

Logo a abrir o mês, no dia 2 de Julho, os Hipnótica sobem ao palco do Castelense para apresentarem o seu mais recente álbum “Reconciliation” que já foi motivo de destaque numa edição anterior da Rua de Baixo. No dia seguinte, é a vez dos Nothem apresentarem-se ao vivo num concerto que deverá basear-se no EP de estreia lançado em 2002, “Aspect Pixel Ratio”, bem como em temas novos que irão estar incluídos no álbum de estreia a ser lançado brevemente.

No fim-de-semana seguinte é a vez dos Mandrágora e dos Gray subirem ao palco, nos dias 10 e 11 respectivamente. Mandrágoa é um grupo de jovens músicos que tem progressivamente vindo a impor-se no panorama folk nacional, reafirmando as nossas tradições, dando-lhes um novo aspecto. Os Gray aproveitam este concerto para iniciarem a promoção do seu EP de estreia onde está incluido “On the Wire”, o single que tem rodado com alguma insistência nas rádios.

No dia 24 de Julho, é a vez dos Expensive Soul mostrarem todo o seu valor num concerto que promete muita alegria e celebração. Este projecto oriundo de Leça da Palmeira abrange diversas áreas como o hip-hop, a soul e até mesmo o reggae. Uma das particularidades deste colectivo é a presença em palco de uma banda, algo que os afasta do hip-hop mais puro.

Para acabar o mês em beleza, no que diz respeito à música, a Tertúlia Castelense vai receber os Loto que continuam a promover o álbum de estreia “The Club”. No dia 31 de Julho, a banda de Alcobaça promete transformar o bar numa verdadeira discoteca através da celebração da música pop. Um espectáculo a não perder.

Quanto ao Teatro, são levadas a cena duas peças. No dia 16 e 17 de Julho é o Teatro Atípico que apresenta “Ah, Ah”, um espectáculo que dizem ser mais sério que o código da estrada (promete!). Nos dias 23 e 30, é apresentado “Pic.Nic” uma história sobre quatro amigos, dois músicos, dois actores e uma artista plástica, que se cruzam no campo. O resto é para descobrirem na Tertúlia Castelense.

Com uma programação variada (e de fazer inveja) e um espaço muito simpático e acolhedor, este bar é uma séria sugestão para passar um bom bocado.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This