O Mistério da Camioneta Fantasma

“O Mistério da Camioneta Fantasma” de Helder Costa estreia no próximo dia 23 de Setembro Quinta-feira, pelas 21h00, A Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República Portuguesa de 5 de Outubro de 1910 convidou A Barraca a integrar esta peça na programação dos vários eventos previstos para 2010 e 2011. O espectáculo estará em cena de 5ª a Sábado às 21h00 e Domingos às 16h00 até Novembro de 2010.

“No dia 19 de Outubro de 1921 deu-se mais um golpe militar contra um governo republicano. Demissão do Ministério e nem soou um tiro.

Entretanto, durante o dia e a noite, uma camioneta começou a percorrer a cidade raptando e assassinando figuras importantes da República: o primeiro-ministro António Granjo, Machado Santos, o herói da Rotunda, Carlos da Maia ex governador de Macau e comandante do ataque ao navio D. Carlos e Almirante Botelho de Vasconcelos. Conduzida por marinheiros essa camioneta de morte provocou um enorme choque emocional na sociedade que se dispôs a castigar os autores desses assassinatos de lesa-Pátria e lesa-República.

Berta Maia, a viúva de Carlos da Maia, dispôs-se a investigar quem poderiam ser os instigadores e autores morais desses crimes. Depois de vários encontros com o marinheiro que chefiava a carrinha, Abel Olímpio, o Dente de Ouro, este confessou que tudo tinha sido uma conspiração monárquica destinada a eliminar os autores do 5 de Outubro, e que a táctica seguida era a de “infiltrar e depois empalmar os movimentos revolucionários”.

O que foi feito com sucesso. Perante estes novos dados, que se passou? Nada.

Será talvez essa a razão de se continuar a intitular de “mistério” um golpe reaccionário suficientemente clarificado nos seus propósitos e objectivos. E se todos esses dados ainda são considerados insuficientes, pois que se faça luz definitiva sobre um dos mais bárbaros e repugnantes acontecimentos que manchou a vida politica nacional.

A História e o futuro vivem de saber ler o passado.

Não será despiciendo saber toda a verdade sobre os crimes que se abateram sobre os dirigentes do 5 de Outubro, onze anos depois de terem conquistado a liberdade para o povo português.”



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This