Laurie Anderson – Delusion. 5 de Junho @ Casa da Música

No regresso à Casa da Música de uma das artistas mais originais do nosso tempo, Laurie Anderson apresenta Delusion, uma meditação sobre a vida e a linguagem. O espectáculo combina música e imagens, violino e electrónica, numa sucessão de curtas peças com carácter teatral.

Delusion, concebido como um ciclo de curtas peças de mistério, oscila abruptamente entre aspectos quotidianos e míticos. Combinando violino, espectáculos de marionetes sob a forma electrónica, música e imagens, Delusion conta a sua história na linguagem colorida e poética que se tornou a marca registada de Laurie Anderson.

As histórias em Delusion vêm de muitos mundos – técnicos, científicos, pessoais e míticos – e de vários estados de consciência, sonho e meditação. No centro de Delusion está a crença de que as palavras e as histórias podem criar o mundo tal como fazê­‑lo desaparecer. Duas peças de Delusion têm origem no disco de Anderson recentemente editado Homeland.

Laurie Anderson é uma das pioneiras criativas mais reconhecidas e arrojadas dos Estados Unidos da América. São conhecidas as suas apresentações multimédia e a aplicação inovadora da tecnologia. Como escritora, realizadora, artista visual e vocalista, criou obras revolucionárias que atravessam os universos da arte, teatro e música experimental. A sua carreira discográfica, lançada com O Superman, em 1981, inclui as bandas sonoras dos seus filmes Home of the Brave (1986) e Life on a String (2001). Os concertos de Anderson vão da simplicidade da ‘spoken word’ a performances multimédia elaboradas como Songs and Stories for Moby Dick (1999). Publicou sete livros e a sua obra visual tem sido apresentada em museus de todo o mundo.

Em 2002, Laurie Anderson foi nomeada a primeira Artista em Residência da NASA, o que culminou com uma digressão, em 2004, da sua performance a solo The End of the Moon. Nos seus projectos recentes inclui­‑se uma série de instalações audiovisuais e um filme em alta definição, Hidden Inside Mountains, criado para a Exposição Mundial de 2005 em Aichi, Japão. Em 2007, recebeu o prestigiante Dorothy and Lillian Gish Prize pela sua contribuição notável para as artes. Em 2008, concluiu uma digressão mundial de dois anos da sua obra recente Homeland. Delusion foi estreado na Vancouver Cultural Olympiad, no início de 2010, e está em tournée internacional.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This