Novas Exposições na Culturgest

Inauguram no dia 1 de Julho, às 22h, nas galerias do Edifício Sede da Caixa Geral de Depósitos, as exposições “De A a Z” de Pedro Diniz Reis e “O espaço do conflito” de Hans Schabus. As exposições estarão abertas ao público de 2 de Julho a 18 de Setembro de 2011, estando programados percursos, conversas e visitas guiadas a ambas as exposições, cujas datas já se encontram disponíveis.

“De A a Z”

Entre 2004 e 2010, Pedro Diniz Reis (Lisboa, 1972) realizou um notável conjunto de obras em que utiliza determinados signos linguísticos – diferentes alfabetos, todas as palavras de um dicionário inglês, os números de 0 a 9 ditos em japonês – como matéria abstracta, puramente significante, aplicando regras de combinação e sequenciação desses elementos, para construir composições visuais e/ou sonoras que convidam a uma experiência sensorial fortemente imersiva.

Este corpo de trabalhos foi objecto de uma exposição na Culturgest do Porto, Um dicionário, quatro alfabetos e um sistema decimal, em Novembro de 2010. Uma exposição que teve consequências tão inesperadas quanto decisivas na sua actividade artística, abrindo todo um novo campo de possibilidades criativas, amplamente exploradas em duas obras apresentadas paralelamente à exposição: O Livro dos AA e a performance 6489 AA para piano preparado.

Composta de três peças em diferentes mediums (vídeo, som e livro), esta segunda exposição de Pedro Diniz Reis na Culturgest dá conta de um momento de assinalável combustão criativa no seu trabalho.

Percurso e conversa na galeria
com os colaboradores do Serviço Educativo
Domingo, 17 de Julho, 17h

Visita guiada por Miguel Wandschneider
Sábado, 10 de Setembro, 17h

“O espaço do conflito”

Hans Schabus (Watschig, Áustria, 1970) adquiriu notoriedade no mundo da arte devido, sobretudo, a uma série de projectos específicos realizados em lugares muito diversos: por exemplo, a Secession em Viena, a Kunsthaus de Bregenz, o pavilhão austríaco da Bienal de Veneza, ou o Site Santa Fe. Estes projectos integravam múltiplos elementos vinculados à própria arquitectura desses lugares e ao seu enquadramento.

Contudo, se existe um lugar para o qual, em última instância, os trabalhos de Hans Schabus remetem, esse lugar é o espaço do seu atelier, o âmbito físico e mental onde se desenrola o verdadeiro conflito entre o real e o possível, entre o contingente e o fictício. O atelier é, para Schabus, simultaneamente realidade e representação; é o lugar onde passa o seu tempo e onde a realidade é processada como material, e é a metáfora da sua concepção da prática artística e da sua posição no mundo.

A exposição O espaço do conflito pretende examinar as múltiplas sinuosidades que caracterizam a busca pessoal de Schabus e o conduzem do atelier à situação, e desta de novo ao atelier.

Conversa entre Hans Schabus e Pablo Fanego
Sábado, 2 de Julho, 17h (em inglês)

Percurso e conversa na galeria
com os colaboradores do Serviço Educativo
Domingo, 17 de Julho, 18h

Visita guiada por Miguel Wandschneider
Sábado, 17 de Setembro, 17h



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This