mw-860

Tim Bernardes no CCB

O músico brasileiro apresenta-se ao vivo no CCB, no próximo dia 19 de Setembro.

Martim Bernardes, conhecido no mundo da música como “Tim” Bernardes, nasceu em São Paulo, Brasil, em 1991. Influenciado desde cedo a seguir o mundo da música, Tim, tem aulas de piano, guitarra e bateria. No entanto, o seu foco principal e sua grande companheira torna-se a guitarra.

Desde cedo mostrou fascínio pelos vinis que havia lá por casa devido ao seu pai e mãe que também são músicos. Influenciado pelos The Beatles e os Mutantes, Tim começa a sentir que a música mexe com o próprio e começa a escrever as primeiras canções.

Em 2009, junta dois amigos, Guilherme D’Almeida (“Peixe) e Victor Chaves, e funda a banda O Terno. Inicialmente, a banda tocava covers de Kinks, Yardbirds, Mutantes e/ou The Beatles, mas chegou aquele momento que o grupo queria começar a escrever as suas próprias músicas.

Em Junho de 2012, O Terno lança “66” através de uma editora independente. A crítica recebe muito bem este disco, especialmente no Brasil, que elogia a estreante banda. Nesse mesmo ano, a revista Rolling Stone coloca este álbum nos melhores 25 do ano, no Brasil.

O desejo e o sonho de Tim Bernardes estava a começar a ganhar forma, no crescimento da digressão e à medida que as viagens iam acumulando. O estilo irónico e as letras simples fazem com que o público brasileiro ganhe interesse na própria banda.

Em 2013, o trio grava um EP com Tom Zé com o nome de “Tribunal do Feicebuqui”. Em 2014, a banda lança o seu segundo álbum “O Terno”, álbum este que contém apenas músicas escritas pela própria banda, sendo que, este ano contribui para a troca de bateristas.

Em 2016, o trio cria “Melhor do que parece” que fala sobre amor, revolta da adolescência e o futuro que virá. O álbum neste ano ganha o prémio de Melhor álbum para o Jornal do Estado de São Paulo e assim como a música que dá nome ao disco, conseguem uma impressionante 25ª posição para a revista Rolling Stone.

Após este ano de 2016, Tim Bernardes tem uma visão e começa a pensar num álbum, em nome individual. A partir daí vai buscar os seus apontamentos/projectos de composições que ficaram para trás, como a música «Não». Esta canção é sobre o momento pós-namoro em que uma pessoa está sozinha e a tentar entender qual será o passo a seguir.

Apoiado pelos colegas de banda, Tim é desafiado a juntar aquilo que não coube na banda a lançar um disco a solo. Ao contrário do álbum luminoso, com uma banda sonora diária, as 12 músicas da banda O Terno demonstram que são a prova de todas as hipóteses são bonitas de fazer tudo de novo e melhor. No entanto, o interprete tem umas coisas a dizer sozinho e umas contas a ajustar com o seu próprio coração e é ai que se dá o click para o álbum “Recomeçar”.

A música de Tim Bernardes baseia-se na procura pelo amor que por vezes deixamos fugir, por diversas razões, seja porque o largamos ou porque ele nos foge. A conquista do seu mundo imaginário por um lugar melhor deu ao artista brasileiro inspiração para as suas letras.

“Recomeçar” é um álbum que demonstra que o recomeço é quase impossível, por isso, a dor e felicidade não andam de mãos dadas. No entanto, não pensem que se baseando nesta premissa, Tim tenha feito um álbum triste, mas sim de esperança e de ternura. As memórias, os diálogos e divagações tornam-se uma melancolia de outros tempos com bastante incidência em instrumentos simples e antiquados.

Tim Bernardes é um poeta brasileiro do século XXI, que encara de frente a solidão e a tristeza através de gritos, falsetes e um nível elevado de melodrama na sua voz. A curiosidade no concerto de Lisboa, no Centro Cultural de Belém, vai mais além do que os seus álbuns terem músicas homónimas em todos os discos. Nada melhor que uma sala fechada e com uma boa acústica para receber um artista a solo e que prende a atenção das suas composições.

19 de Setembro de 2019, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa

Preços:
Cadeiras de orquestra: € 30,00
1ª Plateia: € 25,00
2ª Plateia: € 25,00
Laterais: € 20,00
Mobilidade condicionada: € 25,00
Camarotes centrais: € 25,00
Camarotes laterais: € 20,00
Balcões laterais: € 18,00
1º Balcão: € 20,00
2º Balcão: € 18,00
Galerias: € 15,00

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This