FESTIVAL NOVOS FADOS LX’10

Nos próximos dias 26 e 27 de Novembro, realiza-se a 2ª edição do Festival Novos Fados LX, no Santiago Alquimista, em Lisboa. Além de apresentar novos projectos, nesta edição, foi criado o Palco Homenagem para, tal como o nome indica, homenagear bandas ou músicos a solo, que deixaram uma marca indelével na história de música nacional.

No dia 26  de Novembro, os TV Rural vão subir ao palco para o merecido reconhecimento. No ano em que comemoram o 10º aniversário foram escolhidos por resumirem musicalmente o que é ser português sem nunca esquecer a música que vem de fora. Representam, no fundo, a luta das bandas portuguesas para continuarem vivas anos depois do começo.

A partilhar o palco neste dia estará ainda a portugalidade rock de Os Golpes que continuam a apresentar o seu novo “G” que conta com a participação especial de Rui Pregal da Cunha no single “Vá Lá Senhora”. Também os Julie & The Carjackers estão a dar os primeiros passos e irão abrir esta noite com as suas canções simples, melódicas que ganham vida própria à medida que são tocadas.

No palco acústico, dois convidados muito especiais: a começar o “novato” Cão da Morte, projecto pessoal de Luís Gravito, um cantautor que  explora canções da pop mais moribunda ao folclore mais insurrecto. Seguindo-se Jorge Cruz, o mentor dos Diabos na Cruz, aqui a solo onde espalhará a sua defesa da alma musical lusa com referências ao blues, rock e pop que vem de fora.

Para o segundo dia do festival está guardada a segunda novidade: um programador convidado. O escolhido foi Fred Ferreira. Fred acedeu ao convite do Festival e escolheu 3 projectos bem diferentes: os Laia, herdeiros do pós-rock com retoques de adufe, guitarra portuguesa e música tradicional portuguesa; Bling Projekt, um projecto de liberdade de expressão, tendo o Hip-Hop como base, mas com o groove do Funk, experimentalismo do Jazz e a alma do Soul; e por fim, os Macacos do Chinês, banda também com raízes no Hip-Hop que propõe uma viagem com partida na Lisboa urbana, que ainda ouve o fado a cada esquina, para todos os países que Portugal tocou directa ou indirectamente. No final Fred Ferreira, junta-se a dois dos seus companheiros nos Orelha Negra, DJ Cruzfader e Francisco Rebelo, para um dj set que terminará o festival em festa com ritmos dançáveis do Funk e da Soul.

No palco acústico apresenta-se, neste segundo dia, M-PeX onde Marco Miranda junta tradição e modernidade, funde guitarra portuguesa e música electrónica com um resultado final assombroso. O segundo concerto deste palco será de Filho da Mãe, estreia a solo de Rui Carvalho, já conhecido do festival anterior onde tocou com os seus If Lucy Fell, aqui num registo muito diferente, mais introspectivo e intimista, em plena comunhão com a guitarra acústica.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This