OUT.FEST – 6 de Outubro

Decorre ate 16 de Outubro, no Barreiro, a edição 2010 do OUT.FEST. Hoje será exibido o filme de Alan Lomax “AMERICAN PATCHWORKS 1: The land where the blues began” às 21:30 no Teatro Municipal. Após a exibição, Norberto Lobo irá subir ao palco, acompanhado da sua guitarra, para mais um concerto que promete ser arrebatador, seguindo o trilho a que já nos acostumou.

John A. Lomax

Filho do pioneiro da folk John A. Lomax, com que iniciou a sua carreira cantando as músicas dos prisioneiros e trabalhadores dos campos de algodão negros do Mississipi, Alan Lomax (1915-2002) é hoje reconhecido como um dos mais conceituados etnomusicólogos do século XX. Responsável por centenas de recolhas em locais tão díspares quanto os Estados Unidos, Itália, Caraíbas, Grã-Bretanha ou Espanha, Lomax introduziu ao público ocidental músicas ancestrais como o gospel ou o calypso, que sem a sua perseverança se teriam perdido irremediavelmente.

Autor de dezenas de livros tão marcantes como ‘Folk Song Style’ ou ‘Culture on American Folksong and Folklore : A Regional Biography’, hoje referências incontornáveis no mundo da etnomusicologia, Lomax procedeu a uma documentação exaustiva de todo um mundo musical afastado dos olhares mediáticos, mas essencial à construção da identidade cultural de um país. Não se restringindo a estes suportes, Lomax foi também responsável pela recolha de imagens de muitos dos músicos que deu a conhecer (como Leadbelly ou Bukka White) em filmes documentais de um valor histórico incomensurável.

Devem-se-lhe obras tão essenciais como ‘Music from Newport’ (1966), ‘Oss! Oss! We Oss! – May Day in Padstow’ (1951) ou ‘Folk Music of Britain’ (produzido para a BBC em 1952), que culminariam em ‘Rhythms of the Earth : The Movement Style and Culture Series’, série composta por quatro filmes gravados ao longo de dez anos (1976-1986), que ilustram o seu trabalho pioneiro no campo das Choreometrics, um método de estudo comparativo entre a dança e a geografia humana. Transcendendo todas as barreiras culturais, linguísticas e geográficas, o trabalho de Alan Lomax é a verdadeira essência daquilo que em comunicação se designa por “Aldeia Global”.


Norberto Lobo

Herdeiro da tradição de guitarristas “de mil dedos” como John Fahey ou Sandy Bull, o português Norberto Lobo tem vindo a ter um reconhecimento cada vez mais amplo e efectivo, em consonância com a sua maturação. Sem nunca se limitar à mera revisão de fórmulas e tradições, traça um percurso que o leva até ao inclassificável universo de Carlos Paredes, profetizando uma linguagem única de portugalidade, permeável a influências dos mais diversos locais, num fenómeno de aculturação e lirismo sem paralelo contemporâneo.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This