Seis novos filmes de INGMAR BERGMAN em Junho na MEDEIA FILMES

Após o enorme êxito do ciclo anterior, que contou com 17 filmes de INGMAR BERGMAN nas salas MEDEIA, a LEOPARDO FILMES e a MEDEIA FILMES apresentam uma nova programação com seis novas obras do mestre do cinema sueco, três delas em versões restauradas. Em Lisboa, a exibição destas obras terá início no dia 25 de Junho, no ESPAÇO NIMAS, e noPorto os mesmos filmes do realizador sueco poderão ser vistos a partir do dia 2 de Julho noTEATRO MUNICIPAL CAMPO ALEGRE.

Desde obras iniciais da sua carreira até alguns dos seus filmes mais populares, estes são os títulos que integram esta programação:

A FLAUTA MÁGICA (1975) – Versão Restaurada
Da autoria de Wolfgang Amadeus Mozart, “A Flauta Mágica” é uma das óperas mais conhecidas da história da música e ganhou um novo significado com esta adaptação cinematográfica de Bergman, realizada para a televisão sueca. Bergman viu “A Flauta Mágica” pela primeira vez quando tinha 12 anos e deixou-se encantar por esta ópera. Neste filme, materializa a sua paixão através desta obra filmada num teatro. A forma mágica e bela como este filme é apresentado torna a “A Flauta Mágica” numa obra indispensável para todas as idades, envolta numa atmosfera de fantasia e alegria. “A Flauta Mágica” venceu em 1976 o prémio BAFTA TV para Melhor Programa Estrangeiro e foi nomeado para os Golden Globe s como Melhor Filme Estrangeiro.

LUZ DE INVERNO (1963) – Versão Restaurada
“Luz de Inverno” integra a chamada “Trilogia da Fé”, da autoria do realizador sueco, que se completa com “Em Busca da Verdade” e “O Silêncio” – filmes já estreados pela LEOPARDO FILMES. Neste filme, Bergman explora as personagens e a sua relação com Deus, através do padre Tomas Ericsson, que vive uma crise de fé. “Luz de Inverno” é protagonizado pelos actores Ingrid Thulin e Gunnar Björnstrand, dois dos actores mais populares na Suécia e colaboradores habituais do realizador. Vilgot Sjöman, realizador de “Sou Curiosa” e “Continuo a ser Curiosa” – obras distribuídas também pela LEOPARDO FILMES e que estão actualmente em exibição nos Cinemas Medeia – foi assistente de realização neste filme.

A FONTE DA VIRGEM (1960) – Versão Restaurada
“Na altura, considerei-o um dos meus melhores filmes. Pensei que era magnífico.”
Ingmar Bergman

Inspirado de certa forma por “Rashomon” (1950), de Akira Kurosawa – um dos filmes favoritos de Bergman – “A Fonte da Virgem” foi o filme que valeu um Oscar ao realizador, na categoria de Melhor Filme Estrangeiro. Para além do Golden Globe na mesma categoria, o filme teve ainda uma Menção Especial no Festival de Cannes, em 1960. Este é um conto de vingança, passado numa Suécia medieval e protagonizado por Max von Sydow.

A FORÇA DO SEXO FRACO (1964)
Um dos objectivos desta comédia de Ingmar Bergman é expor o egoísmo e o pretensiosimo existentes no mundo dos artistas e dos críticos. “A Força do Sexo Fraco” conta com interpretações de actrizes com as quais o realizador trabalhava habitualmente – Bibi Andersson e Harriet Andersson. Este é o primeiro filme de Ingmar Bergman a cores e é considerado um dos trabalhos mais singulares da carreira do realizador, pela diferença que marca em relação a todas as suas outras obras.

RUMO À FELICIDADE (1950)
“Rumo à Felicidade” é um dos filmes que marcaram os primeiros anos da carreira de Ingmar Bergman na realização. Aqui, já é possível entender a forte ligação de Bergman com a música clássica, num filme que se ouve ao som de Beethoven, Mendelssohn e Mozart. O filme conta ainda com Victor Sjöström, pioneiro do cinema sueco e mentor de Bergman, no papel de maestro.

O ROSTO (1958)
“‘O Rosto’ é um dos filmes mais enigmáticos de Bergman, talvez a sua obra-prima clandestina, uma das chaves para o seu cinema.”
Olivier Assayas

Tendo dirigido o Malmö City Theatre desde 1952 até 1969, Ingmar Bergman escreveu “O Rosto” durante o Verão de 1958, sendo influenciado pelos seus anos no teatro num filme que reflecte essas experiências. O filme conta com Max von Sydow, Ingrid Thulin e Gunnar Björnstrand nos principais papéis, todos eles actores que viriam a estar bastante presentes na obra de Bergman. “O Rosto” recebeu o Prémio do Júri no Festival de Veneza em 1959.

A programação completa e os horários serão divulgados brevemente.

INGMAR BERGMAN, que iniciou a sua carreira como argumentista, notabilizou-se como um dos mais relevantes e influentes cineastas mundiais. Os já exibidos “O Sétimo Selo”, “Cenas da Vida Conjugal”, “Lágrimas e Suspiros” ou “A Flauta Mágica”, que será exibido nesta programação, são apenas alguns dos filmes que cimentaram o seu estatuto como um mestre do cinema mundial. O cineasta sueco morreu em 2007, na ilha de Fårö, local que serviu de cenário a muitos dos seus filmes.

Os 17 filmes de INGMAR BERGMAN que integraram o ciclo anterior – 10 deles em versões restauradas – estão já editados em DVD pela LEOPARDO FILMES e encontram-se à venda nos locais habituais.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This