BOMBAS (ou pequenas explosões a sós), de Susana Vidal

B NEGATIVO ASSOCIAÇÃO CULTURAL, apresenta o espectáculo BOMBAS (OU PEQUENAS EXPLOSÕES A SÓS), de Susana Vidal, em co-produção com o Festival Temps d’Images, na Sala dos Geradores do Museu da Electricidade, nos dias 06 e 07 de Novembro, respectivamente, às 19H30 e às 21h00.

BOMBAS (OU PEQUENAS EXPLOSÕES A SÓS)

M/16

Fico à espera da sua explosão…ela diz…eu nunca tive medo…

Construíamos as bombas em casa… depois do almoço… depois de beber um simples café quente…depois de fazer amor… depois de adormecer os nossos filhos… todos os dias, sem descanso, esse era o nosso trabalho…

Sabíamos que as bombas ficariam ali para sempre, entre as nossas mãos e dentro da nossa própria casa…

Grita…corre…

Abre o coração até perceber…até perceber…ela é a filha-da-puta que levava a merda da bomba…

Mulher-bomba 2

Estes corpos, portadores de bombas, são corpos de mulheres, porque são do nosso íntimo interesse os comportamentos das mulheres quando exacerbados pela catástrofe, a angústia e a morte. Metáforas das bombas que a um dado momento da nossa vida deflagram para nos deixarem em agonia perante os outros.

Mulheres que delegam em alguém a sua vida, a sua luta, os seus filhos, o seu amor, a sua guerra, a sua casa…Mulheres sem cabeça que mostram o final do seu tempo.

BOMBAS (ou pequenas explosões a sós) é a segunda parte de uma trilogia que ao longo de 6 meses será apresentada ao público em diferentes espaços e formatos. Uma dramaturgia que ao longo do tempo e em cada nova apresentação revelará as camadas submersas em cada criação anterior. Bombas é o segundo esboço de um quebra-cabeças para criar, no fim, um mapa de memórias, imagens e ideias de fácil combustão.

A primeira parte, intitulada Bombas (ou morrer durante uma semana), foi apresentada no Cinema São Jorge, no mês de Setembro.

A última parte será apresentada na Casa Conveniente, em Fevereiro de 2012



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This