Curtas Vila do Conde será homenageado no Festival de Locarno

O Curtas Vila do Conde será alvo de uma homenagem especial no 65º Festival Internacional de Cinema de Locarno que acontece no sul da Suíça entre os dias 1 e 11 de agosto. “Tribute to Curtas Vila do Conde” é o nome do programa especial dedicado ao festival e que inclui a projeção dos quatro filmes encomendados pelo Curtas a quatro realizadores relevantes no panorama contemporâneo e que têm uma forte relação com festival. Os quatro filmes são:

LAND OF MY DREAMS de Yann Gonzalez

O CANTO DO ROCHA (The Song of Rocha) de Helvécio Marins Jr.

O MILAGRE DE SANTO ANTÓNIO (The Miracle of Saint Anthony) de Sergei Loznitsa

RECONVERSÃO de Thom Andersen

De acordo com Nuno Rodrigues, diretor do Curtas Vila do Conde, este programa especial em Locarno significa “o reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pelo festival ao longo de 20 anos”. Ao mesmo tempo, “é uma aposta clara num conjunto de quatro filmes e quatro autores que já atingiram um patamar capaz de prestigiar o trabalho do festival de Vila do Conde e que chegam desta forma a Locarno, um dos maiores festivais internacionais de cinema de todo o mundo”, sublinha Nuno Rodrigues.

O programa oficial do 65º Festival Internacional de Cinema de Locarno foi apresentado hoje em conferência de imprensa.

Com a cerimónia de entrega de prémios marcada para o próximo sábado, às 21 horas, o 20º Curtas Vila do Conde está a corresponder às expetativas mais elevadas por parte da organização, e tem vindo a registar verdadeiros recordes de bilheteira.

Com uma programação diária muito equilibrada em termos de qualidade dos filmes apresentados, várias sessões têm esgotado ao longo dos últimos dias, sendo por isso de esperar que seja ultrapassado o número recorde de espetadores, alcançado no ano passado (25 mil pessoas).

Da programação para o próximo sábado, destaca-se ainda o debate em torno da questão “O que seria do mundo sem o cinema português?”. Numa altura que se discutem quais os modelos de financiamento e as políticas públicas para o cinema português, este debate junta vários protagonistas do momento atual: Miguel Gomes, João Pedro Rodrigues, Luís Urbano, João Lopes e Augusto M. Seabra.

Será também a oportunidade para reunir os seis diretores que, ao longo das últimas duas décadas, materializaram o festival: aos cinco fundadores iniciais – Dario Oliveira, Mário Micaelo, Miguel Dias, Nuno Rodrigues e Rui Maia – juntou-se mais tarde Luís Urbano (Rui Maia saiu no final da década de 90 e Luís Urbano está atualmente na produtora O Som e a Fúria).

Mas, até sábado, o 20º Curtas Vila do Conde tem ainda muito para oferecer. Por exemplo, amanhã, quinta-feira, dia 12, à meia-noite, será exibido o filme realizado por Thom Andersen sobre a arquitetura de Eduardo Souto Moura. Esta será uma ocasião única no âmbito do festival para o encontro entre realizador e arquiteto, já que ambos estarão presentes em Vila do Conde para assistir à estreia do filme.

Um dos momentos altos do programa de sexta-feira (meia-noite) será a performance dos Metamkine, um grupo que inclui músicos e realizadores de cinema que investigam a relação entre som e imagem. Desde 1987 têm participado em performances em festivais e galerias na Europa e nos Estados Unidos. O seu trabalho ao vivo faz uso da magia dos espelhos, múltiplos projetores e uma edição em tempo real. Também a banda sonora é manipulada ao vivo a partir de fragmentos de registos e sons antigos sintetizados. Por isso, em cada espetáculo, o grupo produz e realiza um novo filme. Esta live performance será, certamente, uma experiência única.

O programa completo do 20º Curtas está disponível em www.curtas.pt



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This