Encerramento do Festival Fade In 2011

30 de Novembro (quarta-feira, véspera de feriado), a partir das 21h30, sobem ao palco do Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, os portugueses BRAINDERSTÖRM e os britânicos S.C.U.M., os últimos concertos do FESTIVAL FADE IN 2011.

S.C.U.M (Inglaterra)

Os S.C.U.M (assim mesmo, sem o último ponto a seguir ao “M” – nome baseado no manifesto feminista de 1968, “Society For Cutting Up Men”, da norte-americana Valerie Solanas) são uma banda de post-punk, shoegaze, art rock londrina formada por Thomas Cohen (voz), Bradley Baker (maquinaria), Samuel Kilcoyne (teclas), Huw Webb (baixo) e Melissa Rigby (bateria). Os S.C.U.M são um dos nomes mais falados da actual cena britânica e vêm ao Festival Fade In 2011 mostrar o seu magnífico álbum de estreia “Again Into Eyes”, disco que chega ao mercado com selo da importante e criteriosa editora, Mute Records.

A teia de relações dos S.C.U.M, cuja importante revista britânica NME considerou “one of the Top 10 new bands to see this year!” é grande, devendo-se, sobretudo, às relações amorosas e parentescas que alguns dos seus músicos têm. Por exemplo, Thomas Cohen, o vocalista, é namorado de Peaches Geldof, filha do grande mentor do Festival Live Aid, Bob Geldof; o baixista, Huw Webb, é irmão de Rhys Webb, teclista dos The Horrors, banda com os quais os S.C.U.M são algumas vezes comparados; e Samuel Kilcoyne, o teclista, é filho de Barry Smith, mentor dos proto-electro-kraut-clashers Add N To (X).

Os S.C.U.M estão actualmente nas bocas do mundo, não só porque o seu disco de estreia é magnífico, mas também porque foi produzido por uma dupla, Ken e Jolyon Thomas que, entre outros, já produziu David Bowie, Psychic Tv ou Sigur Ros, só para citar alguns. Os S.C.U.M, que ainda no passado mês de Julho foram escolhidos pelos Portishead para actuarem no festival ATP I’ll Be You Mirror em Londres, são muitas vezes apelidados como a banda britânica mais pretensiosa da actualidade devido às entrevistas nonsense que dão e ao facto de não assumirem influências de nenhuma outra banda. Admitem, no entanto, ter grande admiração por nomes como os Throbbing Gristle, Ghost ou Liars…

Para finalizar, refira-se ainda que “Amber Hands”, o primeiro single a sair do imprescindível álbum de estreia dos S.C.U.M teve remixes exclusivas dos míticos Silver Apples e também de Sonic Boom – o senhor Spacemen 3… É pois esta banda em rápida ascensão no panorama europeu que a Fade In traz a Portugal, num momento que marcará, por certo, para sempre, a história do seu festival.

BRAINDERSTÖRM (Portugal)

Os BRAINDERSTÖRM estrearam-se ao vivo no Entremuralhas – Festival Gótico 2011 perante uma Igreja Da Pena, em pleno Castelo de Leiria, completamente esgotada. A grande revelação deste certame cultural é composto pelo músico, designer sonoro, e compositor João Nascimento (máquinas, vozes, guitarra), pela esteta e designer Marlene Salgueiro (teclas), e pelo actor, performer, músico e compositor António Cova (voz e coisas inesperadas). Os BRAINDERSTÖRM atiraram para dentro de um caldeirão ao lume a música dos Death In June, Black Tape For A Blue Girl, Dead Can Dance, Current 93 e Peter Murphy e no caldo que dessa orgia sonora resultou, juntaram especiarias e condimentos secretos oriundos de proveniências obscuras e mágicas. Por fim, e entre um ritual de preces indecifráveis, beberam o elixir daí resultante. A digestão fez-se à conta de regurgitações tão preciosas como “They Know What They Want”, “We Made Statues Of Our Hearts”, “Black Ribbon” ou “Your Grave Is My Landscape”… A Fade In continua a apostar neles e volta a colocá-los num palco digno, desta feita para a banda apresentar o seu disco de estreia!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This