“O Corredor”, de Ricardo Jacinto – Exposição no Chiado 8

25 de Julho a 14 de Outubro. Chiado 8 – Arte Contemporânea, Entrada Gratuita. Ricardo Jacinto tem pautado a sua prática pela utilização de todas as ferramentas ao seu dispor para a criação de obras cuja experiência se quer una no seu sentido, porém múltipla nas suas formas, nos seus recursos e nos seus estímulos.

Movimentando-se sem restrições no campo da música, da escultura, do vídeo, da performance ou da arquitectura, tem vindo a desenvolver, desde o final da década de 1990, um corpo de trabalho de base eminentemente projectual, cuja metodologia se caracteriza por uma abertura significativa à experimentação e à colaboração entre pares.

Desde o início do seu percurso artístico, Ricardo Jacinto tem-se debruçado com frequência sobre as relações entre espaço e som. Seja no âmbito de projectos de pendor colectivo como PARQUE (desde 2001), em instalações sonoras como Solo (2003), The Great Gig in the Sky (2004) ou Les Voisins #2 (2008), seja no quadro de acções colaborativas como Eye Height (2009-2011) ou In a Rear Room_Um tributo (2010), a exploração do modo como o som e o espaço influem e se contaminam mutuamente e, sobretudo, o interesse pela forma como a interacção destas duas instâncias se presta a poderosas disrupções perceptivas e somáticas, têm sido elementos constantes na prática deste artista. No projecto que agora apresenta no Chiado 8, Ricardo Jacinto amplia o leque de meios que habitualmente utiliza neste contexto, recorrendo ao vídeo para testar os limites operativos de uma cooperação entre espaço e som na construção de uma experiência elíptica, sinestésica e iterativa. Mais que isso, em O Corredor não só podemos observar aquela que será a mais contundente incursão do artista pela área da imagem em movimento, como assistimos também ao desvelar de um momento de reflexão e revisitação do seu próprio percurso por intermédio de um conjunto de subtis remissões, invocações e desdobramentos que reactivam várias das suas obras passadas e as instituem como subtextos a operar nesta exposição.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This