Realizadores nacionais marcam presença no Curtas 4 do Queer Lisboa 16

Os realizadores portugueses José Gonçalves e Filipe Afonso vão estar presentes na sessão de Curtas 4 para falarem sobre os seus filmes Material Love e 2P2R, respectivamente. O primeiro é um filme experimental que reflecte sobre a sociedade de consumo onde o desejo pelo material se sobrepõe ao amor humano. Já em 2P2R acompanha-se duas prostitutas numa noite sem movimento e cuja história se cruza com aquela de dois rapazes que dizem um último adeus. Estes dois filmes são ambos candidatos ao Prémio Pixel Bunker de Melhor Curta-Metragem Portuguesa. Este último programa da competição de curtas é ainda composto pela docu-ficção canadiana The Man That Got Away, pelo francês Ce N’Est Pas Un Film de Cow-boys e ainda pelo australiano These Empty Streets.

O Queer Lisboa 16 recebe amanhã mais dois fortes títulos em competição de origem norte-americana, uma das nacionalidades com maior presença de filmes no Festival. Na competição para a Melhor Longa-Metragem, passa às 22h00, na Sala Manoel de Oliveira, Mosquita Y Mari, que conta a intrigante história de duas raparigas mexicanas de 15 anos, a crescerem juntas numa comunidade de imigrantes em Huntington Park, em Los Angeles. Mari e Yolanda ensaiam uma amizade que depressa prova ser mais complexa e sensual do que seria de esperar. Um pouco antes, às 21h30, na Sala 3, integrado na Competição para Melhor Documentário, é apresentado Vito, um retrato de Vito Russo, activista gay e crítico das representações LGBT nos media e que foi também o autor de “The Celluloid Closet”, uma autêntica bíblia para os amantes do cinema queer.

Ainda amanhã, a partir das 19h15, é apresentado na Sala 3 o primeiro documentário longo a abordar a ACT UP de uma perspectiva histórica. United in Anger: A History of Act Up é um documento fundamental para se perceber a evolução do associativismo gay da luta contra a Sida. A seguir a esta exibição, o GAT e o CheckpointLX organizam um debate sob o tema Unidos na Revolta. Contando com a presença de várias personalidades que deram a cara pela prevenção e tratamento do VIH/Sida em Portugal e que participaram activamente nas reivindicações políticas e sociais a eles ligadas. Os espectadores do Queer Lisboa terão a oportunidade de colocar questões e ficar a conhecer um pouco melhor este que é um importante capítulo recente da História.

A banda-desenhada de Ralf König no Queer Art

Outro dos destaques do dia é o documentário King of Comics de Rosa von Praunheim, um realizador cuja obra o Festival acompanha desde sempre e que traça o retrato de um homem modesto e despretensioso que revelou ter um brilhante sentido de observação, deixando uma marca em toda uma geração. King of Comics é o retrato de Ralf König, um dos mais proeminentes cartoonistas alemães e autor do troféu do Teddy Award da Berlinale, que inclusive já viu o seu trabalho em banda-desenhada ser adaptado ao cinema.

O filme passa às 17h00, na Sala 3, com repetição no último dia do Festival.

Para reunir o público que acompanha o Queer Lisboa, o carismático bar Woof X dedica a noite de amanhã ao Festival. Esta festa pretende reunir equipa, convidados e todos os apaixonados por cinema, num convívio de balanço da 16.ª edição deste que é já o mais antigo festival de cinema de Lisboa.



There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This