Terceira sessão da Cabra Cega @ Musicbox

Cabra Cega volta na próxima semana ao Cais do Sodré (quinta, 12 Maio), para a sua terceira sessão no MusicBox. Trata-se de uma noite dedicada ao cinema de culto onde a intimidade da dança, aliada à sensibilidade da música, propõem uma descomprometida viagem. O cinema de culto dos anos 50, 60 e 70 é a base para a criação de uma intimidade festiva, onde a ideia é dançar até o vestido cair, sem preconceitos, com a venda nos olhos e o coração aberto.

Inspiração do mês: “Crash”, de David Cronenberg.

Cabra Cega é uma noite mensal no Musicbox criada por Miguel Sá e John Holmes.

O conceito é dado pelo cinema de culto dos anos 50, 60 e 70, aqui não se pretende musicar filmes ou prestar homenagens a bandas sonoras, o Cinema de culto faz parte da intimidade criada pela música, o objectivo é dançar sem preconceitos de estilo, cor, raça ou idade: Cabra Cega é deixar os olhos fechados para que a mente seja seduzida de forma promiscua. O resultado? Dançar, transpirar, sentir o corpo perder o controlo. Cabra Cega responde à pergunta: “Lembras-te da última vez que dançaste sem preconceitos?”

Essa intimidade é auxiliada pela componente vídeo ao vivo, em conjunto com a música. Há um filme de culto que é a inspiração base do mês (um capítulo, uma narrativa, uma estória) onde imagens chave são remisturadas numa perspectiva clássica, em conjunto com o banco de imagens Cabra Cega. Este apropriar do Cinema, não sendo uma colagem óbvia ou samplagem preguiçosa – o objectivo é precisamente o contrário, permite criaruma noção de intimidade que vai fazer o público sentir verdadeiramente a música para que esta chegue onde é importante: o corpo e o coração.

Cabra Cega coloca-te a venda nos olhos e faz-te sentir um arrepio de prazer, quase como um déjà-vu, Cabra Cega sussurra-te ao ouvido enquanto o ‘groove’ quente aquece-te o corpo. Haverá combinação mais perfeita que uma atmosfera de sonho, livre, íntima, aliada à vontade de dançar?

A música viaja pelos territórios ‘Disco’ mais mental, do House mais deep, do Boogie mais conservador (leia-se: para dançar agarrado a alguém), coisas novas e coisas antigas com uma especial atenção aos não-clássicos, aqueles temas que tu nunca ouviste mas que são tão especiais que apetece-te roubá-los só para ti.  “Eu não sabia que ia ouvir isto, mas agora não quero outra coisa”.

Miguel Sá e John Holmes prometem que a festa não acaba enquanto houver dança – ser imprevisível e ecléctico não é a solução, mas ser imprevisível e procurar obsessivamente o sorriso, isso sim é a redenção.

Cabra Cega é uma noite de culto, a sensual sensibilidade da música.

Cabra Cega conta com a participação artística do sindicato.biz que vai, através da utilização do vídeo ao vivo, fornecer conceito e interpretação artística às noites no MusicBox’ Lisboa.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This