“VIAGENS E OUTRAS VIAGENS” AO UNIVERSO DE ANTONIO TABUCCHI | última sessão na Cinemateca

Estreia absoluta em Portugal, esta primeira obra do italiano Massimo Guglielmi é só a terceira adaptação ao cinema de um escrito de Antonio Tabucchi. Tendo colaborado com Sergio Vecchio na elaboração do argumento, o escritor italiano teve aqui a oportunidade de converter um conto de 20 páginas, publicado na antologia Pequenos Equívocos Sem Importância, sob o título português de Charada, numa longa-metragem de mais de uma hora e meia que, como o texto, busca inspiração num dos seus cineastas favoritos: Michelangelo Antonioni, o cineasta que, confessou numa entrevista aos Cahiers du cinéma, lhe deu o desejo definitivo de escrever.

Entre o sonho e a realidade, Rebus (1990) conta a história de um mecânico e o seu amor por carros de colecção, sobretudo, um Bugatti Royale que “dá a ideia de um corpo feminino, uma mulher apoiada sobre as costas com as pernas estendidas”. Na equação da sua vida, que o próprio compara ao funcionamento de um motor sem “centelha” e “correia de transmissão”, falta o “amor verdadeiro, o que queima cá dentro e se propaga cá fora e gira como um motor, enquanto as rodas seguem a estrada”. A misteriosa Miriam, interpretada por uma das actrizes mais belas do mundo, Charlotte Rampling, será a centelha que põe o motor a trabalhar, ao passo que a charada do título será a “correia de transmissão” que, no fim, o sabota… Augusto M. Seabra, crítico e programador, virá à Cinemateca Portuguesa “pôr na revisão” este filme raro e enigmático.

Sex. 28 set. às 21:30 | Sala Dr. Félix Ribeiro

REBUS
de Massimo Guglielmi
com Charlotte Rampling, Christophe Malavoy, Fabrizio Bentivoglio, Massimo Venturiello
Itália, 1990 – 110 min / legendado eletronicamente em português



There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This