Bombas (ou agonias para estes tempos felizes de crises)

Após Bombas (ou morrer durante uma semana) e Bombas (ou pequenas explosões a sós), chega Bombas (ou agonias para estes tempos felizes de crises). Este espetáculo é a última parte da trilogia Bombas. É aqui, onde tudo se reduz ao mínimo para dedicar a atenção ao discurso que se radicaliza e se expõe como finalização dum caminho cheio de erros, forças e fragilidades.

É na Casa Conveniente onde se compõe a última fase de uma dramaturgia fragmentada e multi-temporal, uma dramaturgia do tempo morto, como autodenomina a autora. Quer através da aproximação ao espetador, assim como dos novos textos e imagens, queremos procurar uma intimidade e uma partilha dos nossos medos e das nossas forças mais profundas.

Este é um trabalho em agonia, que tem o objetivo de furar o nosso estar e nos deixar uma bomba nas mãos para arrebentar mais tarde.

Se esta bomba fosse real, gritavas ou choravas?

28 Fevereiro a 4 Março (terça a domingo), às 20h // Casa Conveniente – Cais do Sodré

Texto e encenação: Susana Vidal
Interpretação: Carla Ribeiro, Maria João Garcia, Susana Vidal e Sara de Castro (vídeos)
Cenografia: Eric Costa
Montagem: David Palma e Eric Costa
Desenho de som: David Palma
Vídeo: Cláudia Tomaz e Artica Creative Computing
Desenho de luz: B Negativo Associação Cultural
Produção: B Negativo Associação Cultural

Projeto financiado pela Secretaria de Estado da Cultura/ DGArtes
Coprodutores: EGEAC – Cinema São Jorge e Festival Temps d’Images
Apoios: Museu da Eletricidade, Casa Conveniente, Artica Creative Computing

Bilhete
€10 / €7 com desconto (- de 30, + de 65, profissionais do espetáculo)

Marcações e informações através da B Negativo Associação Cultural:
bnegativo.producao@gmail.com | 964728435



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This