Carlo Cavallone

Eurobest 2012 – Dia#1 – Reportagem

Publicidade, Jogos Olímpicos e... culinária!

A festejar 25 anos, o Eurobest conta este ano com um programa de excelência constituído por convidados de luxo que dão voz aos seminários e workshops preparados para mais uma edição do festival. Foram três dias de criatividade e inspiração para todos os que marcaram presença no Cinema São Jorge e tiveram um contacto próximo com as agências mais inovadoras e criativas dos últimos tempos. E como não poderia deixar de ser, a RDB esteve presente e conta como foi.

Quarta-feira | 28 de Novembro


14h00 – 14h35 |
Seminário com Philip Thomas, Director Executivo do “Cannes Lions Festival”. Tema | Lions Festival: Learn from the Lions.

O primeiro seminário da edição 2012 do Eurobest começou com Philip Thomas que falou à audiência presente sobre como ganhar um prémio em Cannes no Festival Internacional de Criatividade. E, questionou Philip – “o que fazem as agências para vencer?” A pergunta parece ser complexa. No entanto, o director do “Cannes Lions Festival” revela que as agências apresentam os seus produtos, as suas campanhas baseadas em ideias simples mas extremamente eficazes e é por isso que ganham em Cannes. Para percebermos melhor que ideias são essas mostrou exemplos de anúncios criativos de marcas como a Mercedes, Nike e Google. Anúncios que durante os últimos dois anos foram fortemente premiadas.

Neste contexto, referiu também que agências e empresas de Países como a Tunísia ou Porto-Rico encontram-se neste momento à frente da Europa no que diz respeito à atribuição de prémios em Cannes. É um fenómeno de globalização e expansão de ideias: sinal que estas não estão reservadas única e exclusivamente aos Países europeus. Mas “porque estará isto a acontecer? Será da crise?” – a pergunta ficou no ar, bem como a resposta.

Philip Thomas, bastante sucinto e directo no seu discurso, disse que espera voltar e ver Portugal na próxima edição Eurobest ou, quem sabe, em Cannes.

14h35 – 15h10 | Seminário com Carlo Cavallone, Director Criativo Executivo da 72andSunny Amsterdam e Robert Nakata, Designer na 72andSunny. Tema | Strike a Chord: Making Brands Matter in Culture.

A dupla que entrou em palco pertence à 72andSunny, agência com escritórios em Los Angeles e Amesterdão que tem no seu cartão-de-visita “Making Brands Matter in Culture”.

Carlo Cavallone deu início ao seminário com uma apresentação acerca daquilo que a agência faz e com quem o faz: Nike, Samsung e HP são algumas das marcas com que trabalham e são clientes com quem mantêm uma relação próxima. “As we say”, o título de um separador da apresentação, introduziu outro conceito que integra a filosofia e atitude da agência: Culture, People, Culture. Como prova disso, a dupla mostrou imagens do trabalho mais polémico e controverso que realizaram: a campanha “Unhate”, para a United Colors of Benetton. Divulgada por todo o mundo, esta campanha assenta na linha conceptual da marca: a luta pela igualdade entre raças, povos e etnias.

Entre outros exemplos, os representantes da 72andSunny escolheram a marca Old Spice para mencionar que através do humor também se pode fazer publicidade a um produto, tornando-o célebre e popular. Realçaram ainda a capacidade artística da Google, que ao longo dos últimos anos tem vindo a construir uma identidade bastante própria, distinguindo-se pela sua irreverência e criatividade. Características que Carlo Cavallone e Robert Nakata defenderam com a apresentação do título “Hit a nerve”: significa que ter um ponto de vista e comunicar uma ideia que chegue a todos os diferente públicos é essencial. O vídeo da campanha Samsung Galaxy S III foi o argumento exibido para explicar o ponto de vista apresentado. O anúncio denuncia, em tom de brincadeira, a chamada “cultura Apple”, onde esta é surpreendida pela The Next Big Thing – o inovador e intuitivo Samsung Galaxy S III. É um jogo de culturas entre marcas e produtos tecnológicos reconhecidos por todos.

Já no final, Carlo Cavallone e Robert Nakata tiveram ainda tempo para desenvolver mais um conceito: “Sometimes you just have make them say… WTF?”. Ambos fomentaram que é importante fazer as coisas acontecer, fazer as pessoas rir, entretê-las porque, este sim, é o desafio a enfrentar.

15h10 – 15h45 | Seminário com Chris Perry, Director Executivo da Fabric Worldwide. Tema | Simple, Sexy Data for All.

Chris Perry focou o seu discurso nas temáticas, problemas e soluções com que se deparou ao longo da carreira. O director executivo da Fabric Worldwide esteve no Cinema São Jorge para falar de como a criatividade na área da comunicação leva a novas oportunidades para as agências e quão fulcral é fazer a diferença, conjugar dados e ferramentas inteligentes com a tecnologia. Neste núcleo constam as redes sociais – as novas plataformas para obter resultados e descobrir novas histórias sobre marcas e consumidores.

O convidado do Eurobest deu a conhecer um dos factores que mais influenciam o pensamento criativo e o estado de espírito das pessoas: o tempo. Sim, se chove ou se está sol, se faz frio ou calor; as condições atmosféricas condicionam o desenrolar de um dia de trabalho e o desempenho positivo ou negativo de uma empresa e dos seus funcionários.

Em apenas cinco lições explicou que:

1. A simplicidade das coisas tem pormenores bastante específicos e difíceis de perceber. No entanto, o desafio é decifrá-los e fazer chegar a todos a mesma mensagem;

2. O contexto é tudo;

3. Prever o processo de cálculo de algoritmos;

4. O tempo real é muito rápido, bem como a maioria do tempo;

5. Não forçar o fluxo de dados.

E, para finalizar, um conselho extra: o output precisa de criatividade.

16h00 – 16h35 | Seminário com João Wengorovius, Chef e Presidente da BBDO Portugal. Tema | Sardines and Chocolat.

Coube a Vasco Perestrelo, Director Executivo da MOP – Multimedia Outdoors Portugal, introduzir João Wengorovius – o convidado principal da conferência. Na indústria da publicidade há mais de vinte anos, João retirou-se há cerca de um ano para enveredar por outro caminho: a culinária. Vestido a rigor – à Chef – deu então início à sua apresentação.

“Educar o gosto” e “Comer com os olhos”, são expressões conhecidas que serviram de base para explicar que a culinária é uma área complexa e dinâmica em termos de sabores, volumes, texturas e cores. E a quantidade de produtos existentes obriga, não só a saber identificar os ingredientes necessários, como também a saboreá-los, a tocá-los. Também as diversas técnicas disponíveis, derivadas do avanço tecnológico, reflectem o desempenho, tanto das empresas como dos cozinheiros. Por isso, é necessário sair da zona de conforto à qual nos habituámos e estudar bastante para poder compreender e pôr à prova os nossos próprios conhecimentos – revelou João W.

Sem deixar de lado a criatividade. O actual Chef, esclareceu que até mesmo neste ramo é algo indispensável, e disse que ser criativo é não copiar, é ser original e ter uma identidade. Assim, é possível fazer algo extraordinário e memorável, mantendo a consistência do trabalho que se faz: trabalhar com as pessoas certas, aprender com os grandes mestres, trabalhar muito para atingir a perfeição e sobretudo ser organizado, foram as dicas deixadas à plateia presente.

Ao longo da apresentação Wengorovius apoiou o seu discurso com citações, frases e pensamentos de alguns dos melhores chefs do mundo. Porque, tal como afirmou, trabalhar e aprender com os melhores é uma mais-valia para fazer a diferença no futuro. Desta forma, contou na primeira pessoa as experiências que tem vivido como chefe, o que tem aprendido e como utiliza a sua formação para evoluir numa nova área que agora explora.

Terminou a sessão com a fotografia de uma sobremesa, um doce final para reflectir sobre o profissionalismo e a qualidade do trabalho, seja em que área for.

16h35 – 17h10 | Seminário com Martin Green, Produtor Executivo das Cerimónias de Abertura dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Londres 2012, e Nikki Crumpton, Directora de Estratégia na McCann London. Tema | McCann Worldgroup: The London 2012 Opening Ceremonies: The Magic of Storytelling.

A última conferência da tarde foi dedicada às Cerimónias de Abertura dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Londres 2012. Introduzido por Matias Palm-Jensen, Director de Inovação Europeia na McCann Erikson, Martin Green, Produtor Executivo do evento, subiu ao palco para responder à pergunta: como se organiza um espectáculo desta dimensão? Nada melhor que primeiro assistir ao teaser da sessão de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres.

Enquanto produtor, Martin Green explicou que a base para fazer uma cerimónia deste nível, tanto na abertura como no encerramento dos Jogos Olímpicos, centra-se em contar uma história, na definição da cultura de um País. O que fomos, quem somos e o que queremos ser são o ponto de partida. Mas, e por onde se começa?

1. Com uma conversa;

2. É urgente formar uma equipa com profissionais das mais diversas áreas;

3. Avançar com uma missão e construir um projecto;

4. Avaliar e potenciar a relação com o público;

5. Cruzar experiências e competências, através da união de todos os voluntários.

Ou seja, tudo é um desafio; enfrentar o mundo é um desafio. E existem questões que não param de surgir: “como se descreve uma cultura?”, “Como se explica a diversidade e evolução de um povo, de um País como o Reino Unido?” – interrogou Martin Green.

Presente na conferência, Nikki Crumpton entrevistou Martin e colocou algumas questões acerca do processo de desenvolvimento e execução de um espectáculo com esta envergadura. Martin respondeu que parte do espectáculo é essencialmente produzido a pensar na audiência e na experiência que cada pessoa vai ter naquela noite, naquele momento. Daí ser fundamental percebermos que o que fizemos culminou numa sensação de euforia e satisfação plena por ter sido um evento tão extraordinário e épico. Falou ainda do futuro, com base na pergunta que Nikki Crumpton lhe fizera: “Depois de uma produção como esta, o que vem a seguir?” Rindo e sem saber o que dizer, Martin revelou apenas que se interessa bastante por eventos de grande escala e que talvez a sua carreira siga esse rumo.

Ambos despediram-se de Lisboa com um making-off que demonstrou a dimensão e todo o trabalho que envolveu centenas de pessoas, num dos maiores e mais espectaculares eventos a que o mundo já assistiu.

17h10 – 19h00 | Abertura oficial do Eurobest 2012

Para celebrar oficialmente mais uma edição do Eurobest, a Shots providenciou aos convidados e oradores um final de tarde especial no Cinema São Jorge. Com bebidas e um ambiente relaxado, propício a reencontros e novas amizades, a organização deu como terminado o primeiro dia do festival.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This