rdb_AvillezJoanaVasconcelos

JOSÉ AVILLEZ PREPARA JANTAR DE INAUGURAÇÃO DE JOANA VASCONCELOS/PORTUGAL NA BIENAL DE VENEZA

José Avillez está em Veneza a preparar a inauguração de Joana Vasconcelos/Portugal na Bienal de Veneza. O jantar de inauguração desta participação comissariada por Miguel Amado será servido amanhã, dia 31 de Maio, a cerca de 300 convidados.

José Avillez está em Veneza a preparar a inauguração de Joana Vasconcelos/Portugal na Bienal de Veneza. O jantar de inauguração desta participação comissariada por Miguel Amado será servido amanhã, dia 31 de Maio, a cerca de 300 convidados. Para este jantar, José Avillez criou um menu composto por pratos inspirados em Lisboa, na importância que Veneza e a capital portuguesa tiveram no passado enquanto importantes pontos comerciais e na relação próxima destas duas cidades com o mar.

José Avillez: Menu Jantar de Inauguração Joana Vasconcelos/Portugal na Bienal de Veneza:

–          Terrina de porco com lagostim e molho tártaro

–          Creme de “fava-rica” com alcachofras de Veneza

–          Bacalhau à Brás com azeitonas explosivas

–          Toucinho-do-céu de Lisboa com sorvete de framboesa

Para representar Portugal na 55ª edição deste importante evento dedicado à arte, a artista plástica Joana Vasconcelos transformou o cacilheiro Trafaria Praia num extraordinário pavilhão flutuante que poderá ser visitado de 1 de Junho a 24 de Novembro. O Trafaria Praia está ancorado na Riva dei Partigiani (junto à paragem de vaporetto dos Giardini), em Veneza, e circulará na Lagoa de Veneza duas vezes por dia, às 10h30 e às 16h00.

Joana Vasconcelos

Joana Vasconcelos é uma comentadora do real. A artista interpreta o presente através de uma leitura crítica das mitologias e das iconografias da sociedade ocidental. Vasconcelos desconstrói os valores, hábitos e costumes para questionar a identidade pessoal e coletiva, releve esta do género, da classe ou da nacionalidade. A sua prática assenta na apropriação de objetos e imagens do imaginário comum e na sua meticulosa reconstituição, habitualmente alicerçada em técnicas com carácter artesanal – geralmente associadas ao labor feminino – e em materiais com matriz popular – têxteis e azulejos, entre outros. A artista atribui, assim, novos sentidos aos elementos que transforma. Este processo enuncia uma tensão entre a alta e a baixa cultura, as esferas pública e privada, o local e o global e a tradição e a contemporaneidade.

Trafaria Praia

Trafaria Praia é o projeto de Joana Vasconcelos para a Participação de Portugal na 55ª Exposição Internacional de Arte – la Biennale di Venezia. O projeto analisa a relação histórica entre Portugal e Itália, que se desenvolveu através do comércio, da diplomacia e da arte. Lisboa e Veneza intersetam-se em diversos pontos; as duas cidades desempenharam papéis fundamentais na expansão da visão do mundo europeia durante a Idade Média e o Renascimento, redefinindo a imago mundi através do estabelecimento de redes entre o Ocidente e o Oriente. Trafaria Praia aborda a zona de contacto existente entre Lisboa e Veneza na contemporaneidade através de uma reflexão acerca de três aspetos fundamentais que as cidades partilham: a água, a navegação e o navio.

Vasconcelos propõe uma correspondência alegórica entre o cacilheiro, o icónico ferryboat de Lisboa, e o pitoresco vaporetto de Veneza. Os cacilheiros cruzam, diariamente, o rio Tejo, levando passageiros da Margem Sul a Lisboa e vice-versa. Os seus utilizadores regulares são habitantes da Margem Sul que trabalham em Lisboa. Até à edificação da primeira ponte entre Lisboa e a Margem Sul, em 1966, estes navios eram o único meio de transporte público entre a cidade e aquela região. Daí que os cacilheiros se associem, desde sempre, ao operariado e à classe média e sejam um conhecido símbolo social, com conotações políticas, em Portugal.

 

www.vasconcelostrafariapraia.com



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This