Primeira edição do Prémio Literário Nortear – Lara Dopazo Ruibal é a grande vencedora

A obra ‘Clementina’, de Lara Dopazo Ruibal, venceu a primeira edição do prémio literário Nortear, uma iniciativa promovida pela Consellería de Cultura, Educación Y Ordenación Universitaria (Espanha), a Direção Regional de Cultura do Norte e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza-Norte de Portugal, com o principal objetivo de incentivar a criatividade dos jovens escritores do Norte de Portugal e da Galiza.

À primeira edição deste Prémio Literário foram apresentados 60 trabalhos a concurso, de jovens residentes na Euroregião Norte de Portugal – Galiza, com idades compreendidas entre os 16 e os 36 anos.

O Júri do Prémio Literário Nortear para Jovens Escritores foi composto por valter hugo mãe, escritor, Carlos Lopes, diretor da editora “edita-me”, Ledicia Costas, escritora, e Carlos Arias, escritor, incluindo ainda um representante do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza-Norte de Portugal.

Para a distinção da obra ‘Clementina’, o Júri destacou a “beleza da história, através do uso marcadamente literário e pessoal da linguagem, do domínio seguro e original da técnica narrativa e do ritmo da obra, acompanhado de dimensão lírica”.

Para além do prémio Nortear, no valor de 2.000 euros, o Júri também decidiu conceder uma menção honrosa, pela sua qualidade, à obra ‘Coração cheio de nada’, da autoria de João Maria Cardoso.

A cerimónia de entrega dos prémios vai decorrer brevemente, em data e local a anunciar.

 

Projetos culturais comuns entre Galiza e Portugal

O certame literário Nortear, que nasce com os objetivos de promover o aparecimento de jovens escritores, de estimular a produção de obras inéditas no domínio da ficção e de favorecer a criatividade literária entre os jovens escritores residentes na Euro-região Galiza – Norte de Portugal enquadra-se no memorando assinado a 23 de abril 2015, Dia Internacional do Livro, entre a Consellería de Cultura, Educación Y Ordenación Universitaria (Espanha), a Direção Regional de Cultura do Norte e o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza-Norte de Portugal, com a finalidade de promover a criatividade, a promoção e a visibilidade de projetos culturais comuns entre o Norte de Portugal e a Galiza.

O diálogo literário entre Galiza e Portugal também se intensificou, no ano passado, com a iniciativa Conversas Nortear, que ofereceu na sua primeira edição dois encontros entre escritores galegos e portugueses, em novembro, em Santiago de Compostela, com Ledicia Costas e Pedro Guilherme-Moreira, e em dezembro, com Ana Luísa Amaral e Ramón Caride, no Porto.

Troca de fundos bibliográficos

Fruto do memorando, igualmente se materializou a troca de fundos bibliográficos destinados a nutrir a secção de língua portuguesa na Biblioteca da Galiza e de língua galega na Biblioteca da Direção Regional de Cultura do Norte de Portugal, instalada na Casa Allen, em Porto.

Fotógrafos portugueses expõem na Casa da Parra

O intercâmbio expositivo é uma das iniciativas que, também, se concretizou ao abrigo do referido memorando.

«Santiago Cidade Ilustrada» é um projeto expositivo que pretende mostrar o papel que a cidade de Compostela foi adquirindo na literatura infantil e juvenil e a história ao longo dos últimos anos. A mostra está patente, até 22 de janeiro, no Mosteiro de Tibães, em Braga.

Simultaneamente, está patente na Casa da Parra, em Santiago de Compostela, a Exposição de Fotografia «8 Espaços para 7 Olhares», inserida no projeto Rota das Catedrais do Norte de Portugal, com propostas de Egídio Santos – Concatedral de Miranda do Douro; Inês d’Orey – Sé de Viana do Castelo; Luís Ferreira Alves – Sé Catedral do Porto; Paulo Alegria – Sé Catedral de Lamego; Paulo Pimenta – Sé Catedral de Braga; Pedro Lobo – Sé de Vila Real; Rita Burmester – Antiga Sé de Bragança e Sé Catedral de Bragança (nova).

 

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This