BONS SONS´12

Desde a sua primeira edição, em 2006, que o Festival BONS SONS faz da música portuguesa motivo de encontro e de celebração. 2012 é ano de BONS SONS que volta a afirmar a dinâmica da festa da música portuguesa nas suas diferentes valências e manifestações. Nos quatro dias de Festival – 16, 17, 18 e 19 de Agosto – a aldeia de Cem Soldos, no concelho de Tomar, junta nos seus palcos artistas consagrados e artistas emergentes de diversas origens e variadas linguagens musicais.

Aproveitando o momento de particular vitalidade da música portuguesa, o Festival BONS SONS’12 associa-se e apoia a divulgação de novos projectos musicais portugueses que assumem influências de outras paragens. A cantautoria de Márcia, na sua cumplicidade com o Tropicalismo e a Bossa-Nova, e de Nuno Prata, no registo privado e biográfico, são exemplos dessa permeabilidade. Da mesma forma que o são a interligação com as linguagens do punk e do rock por grupos como Linda Martini, Os Passos em Volta, Lousy Guru, Os Velhos, ou as histórias contadas por Capitão Fausto e por You Can’t Win, CharlieBrown. As recentes presenças no panorama nacional partilham o festival com outros nomes que vivem há mais tempo a música portuguesa como espaço de comunicação além-fronteiras, tais como Legendary Tiger Man e Maria João & Mário Laginha.

Este festival celebra simultaneamente as raízes tradicionais da música portuguesa, transportadas para o presente com a riqueza do olhar de quem as perpetua. Pé na Terra, Xícara e ATMA criam os novos ritmos da folk portuguesa e a presença de Vitorino traz consigo mais de 40 anos de música para a aldeia de Cem Soldos. No ano em que o Fado foi declarado Património Mundial, a alma Portuguesa é materializada nos concertos de António Zambujo, de Aldina Duarte e com o aguardado regresso d’A Naifa.

O Festival BONS SONS’12 garante ainda momentos mais intimistas em que o instrumento musical assume o protagonismo. Teremos a oportunidade de escutar de perto a guitarra de Filho da Mãe, as baterias de PAUS, o acordeão de Celina da Piedade e o piano de Joana Sá.
A polifonia da música portuguesa é ainda temperada num encontro colorido com as cores de Espanha (o país convidado), trazidas por El Naán e Vigüela.

Os novos territórios da música são explorados e experimentados por Gala Drop, Mikado Lab e Gabriel Ferrandini & Pedro Sousa. Cada uma das noites (longas) termina com uma identidade muito própria, apresentada por Yechidah, Batida, João Gomes e Bento 17.

A ligação do Festival BONS SONS com as linguagens mais tradicionais é reforçada, nesta edição, com a parceria com A Música Portuguesa A Gostar Dela Própria (MPAGDP). A proximidade destes dois projectos permitiu criar mais um espaço no festival, que explora as potencialidades da música portuguesa na sua vertente mais informal, com a projecção de vídeos e a dinamização de um palco específico com diferentes propostas e sonoridades musicais: Cosie Cherie, Carlos Batista, Abaixonado, Joana Espadinha, Canto Hondo, Gobi Bear, Rafael Carvalho, Martim Torres e Birds are Indie.

O Festival BONS SONS’12 traz para este Verão cerca de 60 horas de música, em 42 concertos musicais, distribuídos por 6 palcos (Lopes Graça, Giacometti, Tarde ao Sol, Música na Igreja, Noites Longas e Palco MPAGDP). Estão ainda agendadas outras actividades paralelas, como espectáculos performativos, uma exposição colectiva, feira de marroquinarias, apresentação de curtas-metragens, entre outras.

A Lagartixa Tixa é a mascote dos BONS SONS. Foi criada para simbolizar a dinâmica do festival e o espírito musical da aldeia que o acolhe. A carismática figura é manufacturada, desde a primeira edição, por um grupo de senhoras idosas de Cem Soldos e seus netos. A actividade decorre no âmbito do projecto “Avós e netos”, uma iniciativa trans-geracional da associação SCOCS. Aproximam-se as gerações num meio ideal de partilha de testemunhos e de saber fazer tradicional. As mascotes são feitas de acordo com os preceitos do artesanato em feltro. Duas vezes por semana, reúnem-se, partilhando o mesmo objectivo: 1.000 Tixas para Agosto! Elas serão depois adaptadas a porta-chaves, pregadeiras ou ganchos para o cabelo em vermelho, amarelo, azul ou verde, que ajudarão a reunir fundos para o Festival.

O envolvimento da aldeia na organização do evento é uma característica central do festival. BONS SONS’12 é assim um espaço de participação e implicação de todos, onde têm sido criadas estratégias para capacitar e implicar cada vez mais os cem soldenses. A importância do trabalho conjunto na resposta a desafios e na partilha de esforços reflecte a vida em comunidade que se celebra no Festival BONS SONS.

Os bilhetes estão disponíveis para venda nos locais habituais a partir de Maio (Fnac, Agência ABREU, Worten, C.C. Dolce Vita e W Shoping de Torres Novas, Megarede, El Corte Inglês de Lisboa e Gaia e em todas as estações de CTT)



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This