Clube de Cinema dedica Novembro a Jim Jarmusch

O Clube de Cinema de Setúbal dedica o mês de Novembro ao cineasta americano, Jim Jarmusch. O pretexto é a exibição do documentário “Meio metro de pedra”, de Eduardo Morais, cujo autor confessou ter sido influenciado pelo gosto de Jarmusch pela contracultura. De facto, Jarmusch não é só o mais europeu dos realizadores norte-americanos; é também um enorme pára-raios de cultura underground, que contamina constantemente o seu trabalho, seja através de referências mais ou menos obscuras a discos ou a filmes, a inclusão de músicos conhecidos como actores ou a abordagem de temas comuns nas suas histórias.

Contudo, o grande destaque deste mês de Novembro é mesmo “Meio metro de Pedra”, o documentário sobre o rock’n’roll português desde os anos 60 até aos dias de hoje, que conta com uma série de cabeças falantes bem conhecidas: dos ícoens Victor Gomes e Daniel Bacelar aos colossos Adolfo Luxúria Canibal, . O filme acaba de estrear e está a fazer uma digressão nacional cheia de datas e é com muito orgulho que o exibimos, na nossa capelinha, em Novembro.

Programação para Novembro:

Dia 2 – Down by Law (Vencidos Pela Lei), de Jim Jarmusch (1986) 116m.
O que têm em comum Tom Waits, John Lurie e Roberto Benigni? Aparentemente nada, mas os três foram presos e escaparam da prisão no filme-independente a preto e branco de Jarmusch, “Down by law”. Mais do que um filme de prisão ou de fuga, é um filme sobre a relação entre esse trio de prisioneiros, com Nova Orleães (quase também uma personagem do filme) a desfilar como pano de fundo.

Dia 9 – Mistery Train (O Comboio Mistério), de Jim Jarmusch (2008) 80m.
“Mistery Train” é um memorial ao rock’n’roll e, ao mesmo tempo, o melhor filme do Elvis Presley sem o Elvis Presley. Tudo porque o espírito do Rei é omnipresente neste filme-mosaico de três histórias – seja no título roubado a uma canção de Elvis; seja no cenário de Memphis com toda a sua mitologia rock’n’roll; ou seja na presença de Joe Strummer ou Screaming Jay Hawkins. Japoneses em road movie por Memphis, italianas perdidas em moteis abandonados e rufias bêbados, com desgostos amorosos e uma arma carregada.

**Sessão especial**
Dia 16 – Meio Metro de Pedra, de Eduardo Morais (2011) 81m. *com a presença do realizador
Eduardo Morais confessou que o que o levou a documentar esta história do rock português foi uma entrevista de Jim Jarmusch, onde abordava temas que lhe são caros, como a contracultura e o underground. E nós podíamos aidna acrescentar à lista a componente rock dos filmes do cineasta norte-americano. “Meio metro de pedra” é a história do rock português (isso existe? O que é isso?) desde os anos 60 aos dias de hoje, pela viva voz das principais figuras que marcaram esta cronologia: Victor Gomes, Madalena Iglésias, Adolfo Luxúria Canibal, Tó Trips, Henrique Amaro, etc etc etc.

Dia 23 – Coffee and Cigarettes (Café e Cigarros), de Jim Jarmusch (2006) 96m.
Imaginem uma série de personalidades conhecidas (actores e, sobretudo, músicos), sentados numa esplanada, na palheta por entre uma chávena de café e alguns cigarros. Nada de especial, certo? Contudo, toda a gente sabe que é nas conversas triviais das mesas de café que passamos grande parte da melhor parte dos dias. E ciente disso, Jarmusch filmou uma série de diálogos dos seus amigos (Tom Waits, Iggy Pop, os White Stripes, Bill Murray…) nestas situações.



There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This