15ª MOSTRA DE TEATRO DE ALMADA ABRE A 1 DE ABRIL COM EXPOSIÇÃO RETROSPECTIVA

No ano em que celebra 15 anos, a edição de 2011 da Mostra de Teatro de Almada tem início no dia 1 de Abril, com a inauguração, pelas 21h, da Exposição “15 Mostras. Retrospectiva”, no Foyer do Fórum Romeu Correia. Nesta exposição é evocado o trabalho colectivo realizado por centenas de pessoas, entre criadores, actores, organizadores e outros agentes culturais, associados a esta Mostra ao longo da última década e meia. Segue-se, às 21h30, no Auditório Fernando Lopes-Graça, a apresentação da peça Almada Negreiros, pelo grupo Teatro & Teatro, num espectáculo a partir de dois textos de Almada Negreiros: “Antes de Começar” e “Arlequim e Pierrot”. Num mesmo espaço cénico, construído com elementos inspirados na obra literária e plástica do autor, ganham vida personagens das suas obras consideradas mais emblemáticas.

O primeiro fim-de-semana da Mostra será preenchido com mais espectáculos, entre os quais a estreia da peça Gata em Telhado de Zinco Quente, pelo grupo de teatro O Grito, que com esta encenação assinala o centenário do nascimento do grande dramaturgo americano Tennessee Williams. Gata em Telhado de Zinco Quente é um drama explosivo que escalpeliza comportamentos humanos intemporais com acuidade psicológica e desassombro. Após cinco décadas, o texto de Tennessee Williams continua a seduzir, a empolgar e a escandalizar, como na sua estreia na Broadway, quando foi considerado “a obra-prima que mudou o teatro americano para sempre”. Dia 2 de Abril, às 21h30, no Auditório Fernando Lopes-Graça.

No dia 3 de Abril, a Mostra apresenta na Casa Municipal da Juventude de Cacilhas, conhecida como Ponto de Encontro, o espectáculo Tartarugas e Migração – 2° Acto, um trabalho de pesquisa do Novo Núcleo de Teatro em torno da sua primeira apresentação de Tartarugas e Migração, projecto que integrou a Mostra em 2010. De carácter pluridisciplinar, Tartarugas e Migração – 2° Acto utiliza o vídeo e a música ao vivo para contar histórias e preparar uma refeição. O Novo Núcleo de Teatro é o núcleo de Teatro Universitário da Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências e Tecnologia, da Universidade Nova de Lisboa.

Às 21h30, o Teatro Extremo apresenta na sua sala de espectáculos a peça Quando as Máquinas Param, que retrata o quotidiano de um jovem casal em busca da felicidade, conduzido à insustentabilidade dos afectos pela insustentabilidade financeira. O texto do dramaturgo brasileiro Plínio Marcos (1935-99), de uma actualidade avassaladora sobre a frágil condição humana, é a base para a segunda co-produção lusófona entre o Teatro Extremo e o Grupo Hárem de Teatro (Brasil). Esta encenação de Quando as Máquinas Param foi contemplada em 2010 com o Prémio de Teatro Myriam Muniz, atribuído pela Funarte – Fundação Nacional de Artes do Brasil.

Até dia 17 de Abril, de terça a domingo, antes e depois dos espectáculos, o público da Mostra poderá ainda marcar presença na Cafetaria Erva Limão do Fórum Romeu Correia, que funcionará como ponto de encontro e centro de convívio e animação.

Organizada anualmente pela Câmara Municipal de Almada, em parceria com os grupos teatrais do concelho, a Mostra de Teatro de Almada realizou em 1996 a sua 1ª edição para promover e divulgar a diversificada produção teatral realizada em Almada. Em 2011, participam na Mostra quase duas dezenas de companhias e grupos de teatro.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This