AfrikPlay – Filmes à Conversa

Fevereiro de 2014 marca o regresso ao ISCTE d’ O Afrikplay | Filmes à Conversa. Elaborámos uma programação especial com o tema “Performances & Rituais”, com quatro documentários de quatro países diferentes (Camarões, Moçambique, R. D. Congo e Tanzânia). São celebrações da vida e da morte, invocações de antepassados para a manutenção da paz, retornos a técnicas agrícolas ancestrais, ou cultos da imagem e irreverência, numa conjugação entre tradição e modernidade que caracteriza a África contemporânea.

Cada sessão conta com um convidado, que comentará o filme e conduzirá o debate com a audiência.

13 de fevereiro

Das Cinzas (Karen Boswall e João Ribeiro. 26’, 1999)

Com Paulo Granjo (ICS-UL)

Ed. II, Auditório B2.03, 18h00

“Na Vila da Ilha Josina Machel, localizada no sul de Moçambique, os seus habitantes procuram formas diversas de ultrapassarem as marcas e os fantasmas traumatizantes da fratricida guerra civil que assolou o país. Este documentário realizado por Karen Boswell foi filmado pouco depois da assinatura dos Acordos de Paz em Moçambique.”

​​​​
20 de fevereiro

Dimanche à Brazzaville (Enric Bach e Adrià Monés. 52’, 2011)

Com Clara Carvalho (CEI-IUL – ISCTE-IUL)

Ed. II, Auditório B2.03, 18h00

“Um jovem apresentador de rádio, Carlos La Menace, revela no seu programa de fim de semana três figuras da capital do Congo, Brazzaville. O Sapeur Yves Saint Laurent, rodeado por pobreza extrema, escolhe a elegância como um modo de vida. Cheriff Bakala não é um rapper normal. Mistura hip hop com cultura congolesa, e utiliza instrumentos locais: como tambores feitos com latas. Ele está prestes a gravar o seu primeiro álbum num país onde quase não existem produtores. Finalmente, Palmas Yaya, campeão de wrestling de Brazzaville conta com o vodu para defender o seu trono num momento crucial da sua vida.”

​​​​​​​​​
25 de fevereiro

The Rainmakers: superstition or supernatural skill? (Anne van Campenhout e Anne de Leeuw. 21’, 2013)

Com Eduardo Costa Dias (ISCTE-IUL)

Ed. II, Auditório B2.03, 18h00

“Rainmaking: superstição ou habilidade sobrenatural? Na Tanzânia tem se sofrido de secas persistentes, levando as pessoas a questionarem-se sobre o que está a impedir a chuva. Rainmakers, famosos pela sua habilidade em trazer as chuvas, deixaram de ser aceites pelas pessoas . Existe alguma ligação entre estas duas realidades e em caso afirmativo, o que veio primeiro? Foram os Rainmakers ou os homens comuns, ou poderiam eles realmente possuir um dom sobrenatural?”



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This