rdb_cantoracareca_thumb

Convites duplos – “Cantora Careca” no Teatro do Bairro

Indica o nome de dois actores que fazem parte do elenco deste espectáculo.



2 CONVITES DUPLOS PARA “CANTORA CARECA”, DIAS 17 E 18 DE SETEMBRO ÀS 21:00 NO TEATRO DO BAIRRO




Sobre

Eugène Ionesco é normalmente referido, em conjunto com Samuel Beckett, como sendo o pai do Teatro do Absurdo. Segundo Beckett, é necessário para um texto burlesco, uma interpretação dramática; para um texto dramático, uma interpretação burlesca’’. Porém, além do ridículo das situações mais banais, o teatro de Ionesco configura de maneira palpável, a solidão do homem e a insignificância da sua existência. Não queria que as suas peças fossem categorizadas como Teatro do Absurdo, pois preferia em vez de absurdo, a palavra insólito. Percebeu no termo insólito um aspecto ao mesmo tempo pavoroso e maravilhoso diante da estranheza do mundo, enquanto a palavra absurdo seria, para ele, sinónimo de insensato, de incompreensão. A fadiga dos destinos monótonos, a viscosidade da existência esvaziada de um sentido imanente ou transcendente, quando os homens já não podem ou ainda não sabem conferir-lho, associam-se nas chamadas “anti-peças” de Ionesco a uma espécie de furor hilar de destruição, quando o autor demonstra que todas as frases são gratuitas, que todos os sentidos são reversíveis, que tanto faz dizer preto como dizer branco. E, entretanto, neste caos da gratuitidade estranhamente familiar ou tranquilamente estranha, algo nunca é gratuito: a visão do indivíduo, da sua constante e intransponível solidão, do seu vazio metafísico. Em “A Cantora Careca”, a pequena obra-prima do vácuo total, do teatro vocabular ou das “mil maneiras de não dizer nada”, Ionesco sublinha com um grosso traço caricatural o fatalismo da alteridade dos indivíduos. É todo o individualismo orgulhoso de um ciclo civilizacional que agoniza neste teatro à primeira vista inocente, onde a palavra surge privada do seu conteúdo psicológico; ela deixa de ser um meio de comunicação para ser um objecto em si, monstruoso e cómico.

Dias: 17 a 21 de Setembro
Horário: De Quarta a Sábado às 21:00 e Domingo às 18:00
Descontos: 10€ maiores de 65 e menores de 25 /Clube VII /Emotions Arts Culture Club
Cartão Sábado
7.5€ Cartão Buzico! / profissionais e estudantes da área

Classificação: M/16

Ficha técnica e artística:
Classificação: M/12
Criação e Interpretação: Alexandra Sargento, Andresa Soares, Fernando Rodrigues, João Cabral, João Gualdino, Sofia Brito
Direcção de Arte: Tânia Franco
Desenho de Luz: Paulo Santos
Produção: Buzico! Produções Artísticas
Fotografia: MEF

Regras:

– Os vencedores devem levantar os convites na bilheteira.
– O levantamento deve ser efectuado pelo próprio vencedor, o prémio é pessoal e intransmissível
– Devem enviar-nos os seguintes dados: Nome, dia pretendido e BI (para além da resposta)

Se tiveres problemas a participar no passatempo elimina os cookies e o histórico de navegação do teu browser e tenta de novo fazer o login. Se não funcionar envia a tua participação para passatempos@ruadebaixo.com. Indica no e-mail o teu username.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This