Darkest Hour | A hora de Winston Churchill

Darkest Hour | A hora de Winston Churchill

Success in not final, failure is not fatal. It is the courage to continue that counts

Não, este filme não tem apenas uma hora de duração, nem reflete acerca de hipotéticas vivências que poderiam ser experienciadas num período de tempo assim contabilizado. Porém, a vida é, sem dúvida, feita de momentos que nos marcam, que criam impacto em nós como algo monumental, até fatídico, sobretudo no caso desta narrativa biográfica, sendo que este título espelha isso mesmo: um momento vivencial preponderante, crucial e do qual depende a subsistência do ser pela ação. E como tal, é representado como uma hora, algo decisivo e pontual, emocionante e dramático, por nos manter limitados e dependentes das nossas ações que se refletirão no espaço de tempo seguinte. Mantendo esta consciência de urgência temporal perante os factos vivenciais da realidade, esta obra cinematográfica de 2017 da autoria de Joe Wright representa um momento épico da vida de Winston Churchill, determinante para se impôr, fazer-se valer e, sobretudo, exigir justiça.

Com um elenco exímio, não apenas na representação factual de uma realidade tenebrosa de forma verosímil, mas também na expressão dos sentimentos, emoções e sensações avassaladoras vividas no contexto da 2ª Grande Guerra Mundial de modo genuíno, que conta com atores como Gary OldmanLily James e Kristin Scott Thomas, este filme exibe os eventos cruéis decorrentes desse acontecimento no contexto político britânico sob o olhar e perspetiva de Churchill. Encarnado por Oldman, com máxima excelência em imitação realista, com discursos por si desempenhados com autenticidade expressiva máxima e que lhe valeram o reconhecimento da Academia como melhor ator principal na edição dos Óscares deste ano, esta grande personalidade do século XX mostra-se humilde para com o povo e para ele trabalha com garra e compaixão, mesmo sendo odiado por algumas pessoas do parlamento que contra ele conspiram e que tentam deturpar a sua jornada decisiva para seu próprio interesse. Sensato, decidido, dotado de uma cómica arrogância e, sobretudo, verdadeiramente lúcido e pronto a agir perante uma realidade que ainda se poderia tornar mais devastadora, esta personagem cria em nós um desmedido carinho pela luta pro-ativa e ambiciosa que adota para salvar e proteger a sua nação da ira de Adolf Hitler.

Em maio de 1940, data que é retratada, maioritariamente, ao longo do filme, o destino da Europa Ocidental depende deste Primeiro Ministro Britânico, que deve decidir urgentemente, servindo-se da lógica, estratégia e empatia para com a comunidade que lidera, entre negociar com Hitler ou lutar contra este, mesmo sabendo que isso poderia significar um enorme fracasso mortal e humilhante para a Grã-Bretanha. Adquirindo o ponto de vista refletivo e emocional de Churchill, os espetadores conseguem vivenciar com intensidade realista os factos verdadeiros que se desenrolaram a nível político aquando deste acontecimento que mudou o mundo, numa hora, com certeza, das mais negras.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This