Detox

Detox

A indústria do vestuário acompanha o desenvolvimento tecnológico, evolui com ele, polui com ele e, se maioritariamente quem sai prejudicado disto é o Planeta Terra, de uma maneira mais imediata pode mesmo ser o Consumidor

Em Abril de 2012 a Greenpeace comprou, em várias lojas espalhadas pelo Mundo, 141 peças de vestuário, todas diferentes, pertencentes a 20 diferentes marcas de vestuário incluindo a Armani, Benetton, Calvin Klein, Diesel, Esprit, Gap, Levi’s Strauss, Victoria’s Secret e a Zara.

Posteriormente, testaram-nas de maneira independente num laboratório acreditado da Universidade de Exeter, no Reino Unido. O resultado? Todas as peças, sem excepção, continham químicos mais ou menos prejudiciais à saúde humana e ao ambiente.

A Greenpeace decide atacar em força e cria uma campanha mundial de sensibilização e exposição visando maioritariamente a maior cadeia de lojas a nível mundial: a Zara. Numa campanha que passou pela sensibilização online e acções em várias lojas da marca espalhadas pelo Mundo, a Greenpeace conseguiu que a Zara se comprometesse a diminuir e erradicar todos os poluentes presentes no fabrico das peças de vestuário até 2020, protegendo o meio ambiente e o consumidor e juntando-se assim a outras marcas como a H&M ou a Marks & Spencer que também já tinham assumido o compromisso de “detox” a sua produção.

Na mesma óptica de sensibilização e exposição a Greenpeace lançou esta semana mais uma campanha sendo visada, desta vez, a Levi’s. Todos podem e devem juntar-se a esta campanha.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This