8

Heavy Trash @ MusicBox

O fulgor dos blues. Dia 5 de Outubro de 2009.

Dois dias depois do concerto no Porto, integrado no Festival “Se esta rua fosse minha”, os Heavy Trash – banda em que milita o fervor genuíno de Jon Spencer, ex-Blues Explosion, e o ex-Madder Rose e Speedball Baby, Matt-Verta Ray – rumaram à capital, mais especificamente ao Musicbox. Em dia de feriado da República, muitos foram os que acederam à crueza feérica dos nova-iorquinos e a impressão que fendeu a atmosfera da passada noite de segunda-feira foi de agrado geral e de ricochete, quase familiar, com o público lisboeta.

A que soam e soaram Heavy Trash? A fulgor, nada alardeado, a grito de alma em nada dilacerante, a positivismo e rock’n’roll de raízes amplas, mas viscerais, orquestrados em rythm’n’blues, garage e   rockabilly.

Há reminiscências contidas pelo passado de Jon Spencer ou Verta-Ray e, às vezes, sente-se aquele desconcerto de «I´m addictive» (Speedball Baby) ou mesmo o frenesim de faixas como «Sweet ´n´ Sour» (Blues Explosion).

“Midnight Soul Serenade” tem edição agendada para 13 de Outubro, mas a avaliar pela amostra o colectivo de nome – em tradução-  “lixo pesado” e de que fazem ainda parte bateria e contrabaixo, promete manter accionada a turbina e incontornável afirmação do poder que assumem em espectáculos para o público. Público esse que, em Portugal, regista já os concertos das bandas e lhes atira para o palco após o encore, para contentamento de Jon Spencer, um “o prazer é nosso em ter-vos aqui”.

«Say Yeah», «The Loveless» e «Got to Go» tiveram resistentes no público que explodiam à aproximação de Jon Spencer na frente do palco do Musicbox.

«Justine Alright» faz sobressair a atitude de Spencer e Verta Ray, mas também o sentido sónico do  contrabaixo e é um dos momentos altos de um espectáculo carregado de adrenalina e latejo constantes. Também «Punk Rock» deixará na ideia de muitos a excelência performativa de Spencer e o domínio da bateria.

A reter ainda «Crazy Pretty Baby», com um público dançante e solícito ao devaneio Spencer e a expressão carismática, essência vital e talismã dos impulsionadores de atitudes marcantes na esfera musical.

Uma nota especial para o espaço Musicbox que se tem vindo a revelar, numa época em que pareciam escassear salas de média dimensão, com capacidade para absorver ou dar a conhecer fenómenos não tão massificados.

O rock tem espaço e está, mais que nunca, de volta à capital. Para alegria de muitos.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This