IndieLisboa12 – Competição Internacional de Curtas Metragens

Do programa do 9º IndieLisboa fazem parte 136 curtas metragens de 29 países, divididas pelas várias secções: Competição Internacional, Competição Nacional, Cinema Emergente, Observatório, Pulsar do Mundo, Director’s Cut, IndieJúnior e Sessões Especiais.

O Júri da Competição Internacional de Curtas Metragens é este ano composto por Maria João Madeira (programadora da Cinemateca Portuguesa), Paolo Moretti (programador que trabalhou para o Centre Pompidou, o Festival de Veneza e o Cinéma du Réel, entre outros) e Gabriel Spahiu (reconhecido actor da Nova Vaga Romena). O Júri atribuirá os seguintes prémios: Grande Prémio de Curta Metragem, Grande Prémio de Curta Metragem Portuguesa, Prémio de Melhor Realizador Português de Curta Metragem e Prémio Novo Talento FNAC Portugal.

Num macrocosmos em que se democratiza e floresce a arte de fazer cinema, o formato de curta metragem é cada vez mais explorado por jovens realizadores e autores consagrados. Há nove anos que o IndieLisboa tem vindo a apostar nesta linguagem livre e fora de regras que se adapta à voz de cada cineasta. Existirá um reflexo desta democratização em Random Strangers, de Alexis dos Santos – uma história de amor moderna que se materializa através de uma webcam. Estão incluídos ainda filmes de todos os géneros, como The Unliving – um filme de zombies – ou Or Anything at All Except the Dark Pavement, um filme mudo. Como em todas as edições do festival, a animação tem um lugar de destaque neste programa. Oh Willy, passado numa colónia de nudistas, e The Great Rabbit (do japonês Atsushi Wada, premiado recentemente com o Urso de Prata em Berlim) são duas curtas que exploram não só a linguagem da animação, como os limites da criatividade.

Mas o cinema também é feito de histórias simples, narrativas de um conto cuja versão se adapta a quem o vê, como em Les Navets Blancs Empêchent de Dormir que não é senão uma história de amor que termina, ou Drari, um filme sobre a amizade.

E porque o cinema não tem fronteiras, Byun, Object Trouve, de Marie Losier (secção Observatório), filme no qual a artista usa objectos diversos para esculpir uma representação do choque entre a civilização pós-industrial e a cultura consumista contemporânea. Também para a industrialização nos remete o “taylorista” Le facteur humain, uma narrativa composta por imagens de filmes institucionais americanos do século XX e ao mesmo tempo uma história de amor. So Sorry, de Ai Weiwei – outro consagrado artista internacional – fará parte da secção Pulsar do Mundo.

Destaque ainda para quatro curtas-metragens muito aguardadas: Soul catcher, de PV Lehtinen – uma ode à imagem – o surreal Las Palmas (secção Cinema Emergente), de Johannes Nyholm, Retour à Mandima, de Robert-Jan Lacombe, e Cross-country de Maryna Vroda, Palma de Ouro em Cannes 2011 (secção Cinema Emergente).

O trabalho e as obsessões de Stanley Kubrick serão dissecados em dois filmes da secção Director’s Cut: Kubrick project, de Olivier Jagut e Once Upon a Time… A Clockwork Orange, de Antoine de Gaudemar.

Há ainda 5 filmes portugueses seleccionados para a Competição Internacional de Curtas Metragens que serão revelados na conferência de imprensa, no dia 27 de Março.

Programação Competição Internacional de Curtas Metragens

Alemanha

The Centrifuge Brain Project , Till Nowak, fic, 7′, 2011

Merry-go-round, Kristina Kean Shubert, fic, 7′, 2011

Argentina

Juku, Mauricio Quiroga Russo, fic, 18′, 2011

Austrália

At the Formal, Andrew Kavanagh, exp, 8′, 2011

Bélgica

KIN, L’Atelier collectif, anim, 11′, 2011

Brasil

Capela , Gustavo Rosa de Moura, doc, 14′, 2012

Praça Walt Disney, Renata Pinheiro, Sérgio Oliveira, doc/exp, 21′, 2011

Canadá

Les Dimanches, Jean-Guillaume Bastien, fic, 14′, 2011

Surveillant, Yan Giroux, fic, 17′, 2011

Colômbia

The Night of the Moon Has Many Hours, Mauricio Arango, fic, 12′, 2011

Estados Unidos da América

Polvo, Angela Reginato, doc, 28′, 2012

Finlândia

Africa, Matti Harju, fic, 9′, 2012

Soul Catcher, PV Lehtinen, exp, 14′, 2011

França

Armand, 15 ans, l’été, Blaise Harrison, doc, 50′, 2011

Drari, Kamal Lazraq, fic, 40′, 2011

Le facteur humain, Thibault Le Texier, fic, 28′, 2011

The Great Rabbit, Atsushi Wada, anim, 7′, 2012

Manque de preuves, Hayoun Kwon, anim, 9′, 2011

Les navets blancs empêchent de dormir, Rachel Lang, fic, 27′, 2011

Oh Willy, Emma de Swaef, Marc Roels, anim, 11′, 2011

Or anything at all except the dark pavement , Theodora Barat, exp, 5′, 2011

La Sole, entre l’eau et le sable, Angèle Chiodo, anim, 15′, 2011

La tristesse de l’éléphant, Bartlomiej Woznica, fic/exp, 6′, 2011

Irlanda

Rats Island, Mike Hannon, doc, 12′, 2011

Japão

Animated Tokyo Scroll, Gaku Kinoshita, anim, 3′, 2012

Noruega

Everything Will Be OK, Jonas Matzow Gulbrandsen, fic, 25′, 2011

Reino Unido

Asylum , Joern Utkilen, fic, 17′, 2011

Belly, Julia Pott, anim, 7′, 2011

The Pub, Joseph Pierce, anim, 8′, 2012

Random Strangers, Alexis dos Santos, fic, 24′, 2011

Suécia

Late on Earth, John Skoog, fic/exp, 12′, 2011

The Unliving, Hugo Lilja, fic, 28′, 2011

Suíça

Kyrkogårdsö, Joakim Chardonnens, doc, 24′, 2012

Retour à Mandima, Robert-Jan Lacombe, doc, 39′, 2011



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This