Shivan-7

Milagre Metaleiro on Tour @ RCA Club (15.07.2017)

,

O festival Milagre Metaleiro acontece desde 2008, na Aldeia de Pindelo dos Milagres, no concelho de São Pedro do Sul. Em agosto deste ano realiza-se a 10ª edição do evento, mas antes disso suceder, realizou-se esta primeira data do Milagre Metaleiro on Tour, no RCA Club, em Lisboa, sendo que no próximo fim-de-semana, a digressão do espectáculo, irá acontecer no Metalpoint, na cidade do Porto. É a primeira vez que se realiza o Milagre Metaleiro on Tour, nas duas maiores cidades portuguesas, sendo que esta iniciativa veio em boa hora, para os fãs das sonoridades mais tradicionais dentro do metal residentes em Lisboa, Porto ou arredores. Esta primeira edição em solo lisboeta não teve uma enorme adesão, mas ainda assim vários fãs de heavy metal deslocaram-se ao RCA, esperando-se agora que o Milagre Metaleiro on Tour seja uma realidade daqui para a frente e que o mesmo cresça de ano para ano.

O início do evento ficou a cargo de Manuel Duarte, que demonstrou ser um jovem promissor (de 16 anos) e talentoso guitarrista, acompanhado por um baixista e um baterista também de tenra idade. O trio toca heavy metal neoclássico instrumental/shred, sendo que esta descrição foi dada pelo próprio Manuel Duarte e encaixa que nem uma luva, na sonoridade que tivemos o prazer de presenciar, nesta noite. A actuação deste projecto oriundo de Pindelo dos Milagres foi muito agradável, o que deixa curiosidade acerca de como será o futuro de Manuel Duarte. Esperamos que consiga levar adiante este projecto pouco usual em Portugal.

Em seguida tocaram os Deadlyforce, banda que já é relativamente conhecida, para quem acompanha o underground metálico. O colectivo da margem sul lançou o seu EP de estreia, no final de 2014, pela americana Stormspell Records, que já foi responsável pela edição de registos de bandas como Paradox, Lich King, Air Raid, Midnight Priest e Perpetratör. Desde então, este quinteto tem vindo a promover a sua sonoridade heavy metal, em vários palcos nacionais. A qualidade desta banda é inequívoca e a rodagem da mesma é evidente, por isso este concerto foi, mais uma vez, uma boa demonstração do seu potencial. Foram tocados os temas do EP supracitado, intitulado “From This Hell”, ficando a sensação que está está na hora da banda dar o próximo passo, o lançamento de um longa-duração, o que será um passo importante na afirmação do nome Deadlyforce no panorama da música pesada nacional. A meio do concerto, o vocalista Flávio Lino afirmou em tom de brincadeira que achava que 70% dos aplausos foram dirigidos a si, referindo que não estava assim tão bem porque esteve com gripe antes do concerto. Pela prestação, ninguém diria.

Os Shivan são uma banda já bastante veterana no panorama do heavy metal português, embora tal não se tenha traduzido, até à data, em muita actividade a nível de concertos e lançamentos, o que é pena pois é sempre bom ouvi-los. Logo na fase inicial do concerto, o baixista João Pimentel pediu desculpa aos espectadores, porque o vocalista Mauro Coelho não pôde estar presente, mas que a banda não podia deixar de tocar por causa disso. Os Shivan fizeram bem em decidir tocar na mesma, até porque João Pimentel assegurou as vocalizações neste concerto, além de ter tocado baixo e até não se saiu nada mal. Sentiu-se somente a falta da presença em palco do cantor brasileiro. Além de temas como «Final Victory», «No Return», «Nightmare» e «Never Surrender», os Shivan tocaram um novo tema que soou bem junto dos restantes. Sensivelmente a meio da performance dos Shivan, Alcides Duarte deu show e mostrou cumplicidade com os seus companheiros ao tocar guitarra debaixo das pernas do baixista e logo em seguida dirigiu-se ao guitarrista Pedro Miguel e deu-lhe um beijo na testa. Pormenores curiosos de uma boa actuação.

Os Fantasy Opus, é justo dizê-lo, são autores de um dos melhores álbuns do power metal português. Referimo-nos ao disco de estreia da banda, “Beyond Eternity”, lançado já no algo longínquo ano de 2009. A setlist deste concerto foi baseada principalmente nesse trabalho, mas o quinteto tocou já algumas músicas que vão constar no seu novo álbum, a ser editado brevemente, duas delas denominadas «Heaven Denied» e «Realm of the Mighty Gods», que nos pareceram pelo menos tão boas como as antigas, o que é algo de assinalar. Das músicas já anteriormente conhecidas destacaram-se «Warrior’s Call:Chapter II: Warrior’s Call», que iniciou em grande o concerto, «Path of Destiny» a meio da performance e a inevitável «Mystic Messenger» que meteu o público a cantar, na recta final do espetáculo. O incansável Leonel Silva, que atuou com os Fantasy Opus e os Mindfeeder, puxou várias vezes pelo público, que correspondeu sempre às solicitações deste vocalista. O cantor afirmou que de todas as salas de espetáculos onde já actuou, o RCA Club é uma das melhores a nível de som. Essa declaração por parte do músico é de realçar porque, de facto, em termos sonoros, o RCA é excelente. Igualmente excelente foi a performance dos Fantasy Opus.

Para o final deste Milagre Metaleiro On Tour estava reservada a actuação dos Mindfeeder, que agradaram ao público com a sua sonoridade baseada no heavy/power metal. A banda tocou pela primeira vez na sua carreira apenas com um guitarrista, porque Nuno saiu do grupo por motivos pessoais, segundo o que disse o vocalista Leonel. Tal ausência até nem se notou muito na performance, sem contar com «Colours Of The Skies», que devido a problemas técnicos não teve direito a guitarra. «The Call» e «Endless Storm» não podiam faltar, nem «Memories», tema que o vocalista dedicou a todos aqueles que acompanharam os Mindfeeder, durante o seu percurso. Leonel Silva pediu ao público para cantar os parabéns a uma das pessoas do público, Esmeralda, uma presença habitual nos concertos de metal. É justo referir que, anteriormente, já os Deadlyforce tinham desejado um feliz aniversário a esta conhecida espectadora e os Shivan haviam pedido palmas para a mesma. É de louvar que as bandas não se esqueçam de quem os apoia! Leonel lamentou o falecimento recente do baixista David Z dos Adrenaline Mob, mais uma baixa no mundo da música pesada. «Together» terminou em grande este concerto, tendo contado com a participação do ex-baixista dos Mindfeeder, Sérgio Temudo, que foi neste tema protagonista de um dueto com Leonel. No capítulo dos convidados é importante referir a presença de Paulo Gonçalves (Rasgo, ex-Shadowsphere), no final da acima mencionada «Memories».

No cômputo geral, este evento foi bem sucedido pelos bons momentos proporcionados pelas bandas, destacando-se a coragem por parte da organização em trazer este espectáculo de puro heavy metal à capital. Um verdadeiro Milagre Metaleiro!

Texto por Mário Rodrigues e fotografia por Hugo Rebelo.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This