SERRALVES APRESENTA “EARLY WORKS”, DE TRISHA BROWN

A companhia de dança da norte-americana Trisha Brown, uma das mais importantes coreógrafas da actualidade, propõe ao público português um percurso pelo Museu e Parque de Serralves, ao longo do qual serão reveladas peças fundadoras da obra de Brown. Esta apresentação dos “Early Works”, integrada no projecto Improvisações/Colaborações, será uma oportunidade imperdível de conhecer ou revisitar a obra de Brown, e proporcionará novas leituras das obras em diferentes espaços de apresentação.

Trisha Brown tornou-se uma figura central da dança pós-moderna americana, particularmente a partir da apresentação das suas peças ao púbico no Judson Dance Theater, nos anos sessenta. Na companhia de artistas com ideais comuns, como Steve Paxton e Yvonne Rainer, rompeu os limites daquilo que era considerado movimento próprio para coreografia e, ao fazê-lo, mudou para sempre a dança moderna.

O programa das apresentações em Serralves integra doze Early Works (criados entre 1968 e 1974), peças matriciais no trabalho desta extraordinária coreógrafa. Os Early Works rompem as fronteiras da dança. Resultam de uma nova experimentação física e conceptual, da improvisação, do cruzamento das artes performativas com as artes visuais, da confluência da arte com a “vida quotidiana ”. Estes primeiros trabalhos de Trisha Brown são criados para espaços não convencionais (como galerias, ginásios e salas de apartamentos) e para espaços exteriores (parques, ruas, terraços ou fachadas de edifícios) numa tentativa de aproximar a arte da vida das pessoas e oferecer aos públicos possibilidades alargadas de percepção das peças.

Nos Early Works, Brown desenvolve as Equipment Dances (que implicam a construção e uso de estruturas,  como Floor of the Forest); as Structured Pieces (danças que emanam de uma regra simples e das suas permutações, como Sticks ou Figure Eight) e as Accumulating Pieces (um movimento, repetido, ao qual se junta um segundo e repete-se a frase, à qual é acrescentada um terceiro movimento…, como Accumulation ou a Raft Piece). É também neste período que Brown cria peças trompe l’œil, que desafiam a gravidade e iludem a perspectiva do espectador, como a emblemática Planes.

Nesta apresentação em Serralves, ao longo de aproximadamente duas horas, a Trisha Brown Dance Company (TBDC) apresentará Floor of the Forest (1970), Accumulation Duet (1971), Scallops (1973), Raft piece (1973), Sticks I & II (1973), Figure Eight (1974), Spanish Dance (1973), Sticks IV (1973), Leaning duets I, II (1970, 71), Falling duet (1968), Skymap (1969), Planes (1968), num percurso que se inicia nas salas do Museu, prossegue pelo Parque, pelo Ténis, pelo Lago… e regressa, de novo, ao Museu de Serralves.

Prosseguindo a ideia de que o Improvisações/Colaborações promove a intersecção de experiências e colaborações entre diferentes artistas, elementos da TBDC vão ensinar duas destas peças – Planes e Floor of the Forest – a um grupo de 11 performers do Porto, que as interpretarão com a companhia e ainda durante um curto período após a companhia deixar o Porto, em datas a definir. A TBDC cria assim a oportunidade de jovens bailarinos cruzarem a teoria com a prática, de experimentarem o trabalho seminal de Trisha Brown e de o incorporarem no seu património artístico pessoal.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This