ted_header

TEDxEdges 2011

"Being Spiritual, Sustainable, Social and Super!”. Para nos ajudar a compreender melhor este evento, a RDB esteve à conversa com o curador André Marquet.

O país e o mundo estão em constante mutação. Actualmente, vivemos numa sociedade globalizada, onde o tempo é dinheiro, mas também sinónimo de desespero porque a conjuntura não apresenta um futuro próximo muito favorável. Mas ficar de braços cruzados não é de todo a opção correcta. Para que haja novas formas de pensar e possamos aprender a ver e a viver o tempo de uma outra forma, sempre positiva, André Marquet, curador do evento, decidiu organizar em 2009 o primeiro evento TED em Portugal.

Este tipo de eventos com a chancela TED promove-se à escala global e nomes reconhecidos como é o exemplo de Al Gore ou Steve Jobs, entre outros, já estiveram presentes em outras edições e transmitiram as suas visões e pensamentos. Este ano o tema baseia-se em “Being Spiritual, Sustainable, Social and Super!” e para nos ajudar a compreender melhor o que trata este evento, a RDB esteve à conversa com o próprio André Marquet.

Este é o terceiro ano consecutivo em que ocorre o evento TEDxEdges em Portugal e regressam à cidade de Lisboa. Como é que surgiu a ideia de organizar este evento em Portugal?

O TEDxEdges foi o primeiro TEDx em Portugal de forma fortuita! Em 2008, comecei a pensar em organizar uma conferência para discutir os modelos de desenvolvimento tecnológico em Portugal, para ajudar a definir uma estratégia de médio-longo prazo para o país. Na altura, havia o Plano Tecnológico, e sentia que era  necessário fazer uma espécie de balanço da sociedade civil do mesmo. Como trabalhava para uma empresa Finlandesa, pensei que o modelo Finlandês e o modelo de desenvolvimento tecnológico Israelita – dois países que partilham com Portugal, a dimensão populacional, e o facto de estarem na periferia “Edge” da Europa – seriam bons casos para fazer o benchmarking. Foi desta forma que comecei a trabalhar numa conferência que começou por se chamar “TIC@Edges”, no entanto tive muitas dificuldades em conseguir convencer o poder político e diplomático desses países, e também o Português, em associar-se a este projecto e acabei por me candidatar àquela que veio a ser a primeira edição do TEDx em Portugal e, curiosamente, uma das primeiras da Europa. Podemos contar com a chancela da marca “TED” e isso faz toda a diferença. O primeiro TEDxEdges foi em 18 de Setembro 2009 e foi um sucesso, e os vídeos estão todos no youtube!

E porquê a escolha do nome TEDxEdges?

O nome TEDxEdges vem do facto de Portugal ser um país periférico da Europa, ou seja “at the Edge of Europe”, e ao mesmo tempo ambicionarmos que Portugal esteja na vanguarda do conhecimento, um país inovador, um país pioneiro, ou seja “Cutting Edge”.

Para esta terceira edição pelo facto do evento ser organizado na Fundação Champalimaud acreditamos que estaremos “At the Edge of the Unknown” isto é, na Fronteira do Desconhecido – e prontos para dar o salto – tal como os nossos destemidos antepassados há mais de 500 anos. Afinal de contas, é a visão de um Portugal melhor que nos guia.

Com quanta antecedência é que se começa a preparar e a organizar um evento desta dimensão? E de que forma é que se processa a escolha dos oradores?

Para esta edição começámos a preparar o evento com cerca de um ano de antecedência. No início focamo-nos em escolher as pessoas certas para fazerem parte da equipa, em decidir o tema do TEDxEdges e escolher o local. A partir daí começámos a lidar com as restantes questões como oradores, logística, comunicação, entre outros processos.

O processo de escolha dos oradores é o processo mais complicado. Isto porque não existe uma receita para fazer as escolhas perfeitas. Mas o trabalho do curador é precisamente esse, e isso por vezes é feito com algum instinto e com a química que se cria com as pessoas.

Nós começámos por escolher um conceito, uma ideia que está por detrás da experiência que queremos proporcionar. Após várias reuniões de brainstorming ficamo-nos pelo “Being Spiritual, Sustainable, Social and Super!”.

A partir desse ponto, o que tentámos fazer é estar atentos ao mundo que nos rodeia tentando perceber quais é que seriam os oradores que acreditamos que iriam proporcionar a melhor experiência aos participantes. Procurámos pessoas que possam trazer e partilhar ideias novas, ideias que inspiram, ideias que fazem as pessoas quererem levantarem-se das cadeiras e mudar Portugal e o mundo.

Através dos oradores convidados, o TEDxEdges proporciona novas visões e novas ideias a quem assiste. Que tipo de feedback é que têm obtido por parte das pessoas que se inscrevem para assistir?

O feedback tem sido muito positivo, o que nos tem deixado muito contentes e motivados para realizar mais edições. Nestes três anos repáramos que as pessoas gostam de ouvir estas ideias e o interessante é que estas ideias são combustível para outras ideias que acabam por serem implementadas pelas pessoas na audiência. Aliás, no TEDxEdges quem está na audiência é tão interessante como os oradores, é um verdadeiro espaço de partilha intelectual.

O TEDxEdges foi o primeiro TEDx a ser realizado em Portugal e constatamos que hoje existe um movimento TEDx em todo o território de Portugal, de Norte a Sul e em cidades de diversas dimensões, o que para nós é uma enorme alegria porque mostra que havia um público que não estava a ser atendido com os modelos de conferência tradicionais. No fundo o TEDx é isto, ideias que despertam acções a serem partilhadas!

Para a edição deste ano, qual é o pensamento final que querem transmitir?

O TEDxEdges 2011 vai-se realizar perto de um local icónico para Portugal, a Torre de Belém, ponto de partida para a descoberta do desconhecido.

Ao mesmo tempo, vai-se realizar no “Centre for the Unknown” da Fundação Champalimaud que é um dos locais mais proeminentes na pesquisa da cura para o cancro; uma espécie de Santo Graal da medicina.

A mensagem que pretendemos passar num local tão singular é “the real voyage of discovery is not in seeking new landscapes but in having new eyes”. Ao vermos as coisas por outro prisma, podemos ter novas perspectivas e formular novas teorias da realidade, por exemplo, o cientista italiano Galileo formulou uma parte significativa da física do movimento dos corpos celestes e reforçou o heliocentrismo com base em novas ferramentas, mas também através de uma forma diferente de ver o mundo e as ideias dogmáticas da sua época. É esse espírito inquisitivo “e se fosse de outra maneira, será que?” que queremos continuar a trazer com o TEDxEdges 2011.

Partindo do tema desta edição “Being Spiritual, Sustainable, Social and Super!”, e na sua opinião enquanto curador e organizador desta edição, acha que as pessoas, enquanto seres individuais, estão a sofrer uma mudança de valores e crenças?

Nós acreditamos que o mundo está a mudar, e a mudar muito rápido. Algumas das tecnologias a que temos acesso hoje eram consideradas ficção científica há uma década atrás; telemóveis tacteis, banda larga móvel, fibra óptica em casa, e tantos outros exemplos.

E perante isto colocou-se-nos a questão: “Como será a sociedade do futuro? Como será o indivíduo do futuro?” Mergulhámos no desconhecido e não encontrámos resposta para as nossas questões e assim surgiu o tema deste ano. Acreditamos que as respostas a essas questões podem ser dadas pelo menos segundo quatro vectores.

Spirituality (Espiritualidade) – a conjugação de várias crenças em sociedade de forma pacífica;

Sustainability (Sustentabilidade) – as soluções para os problemas que enfrentamos no nosso planeta no que diz respeito ao uso dos recursos existentes;

Social (Sociedade) – a forma como vamos interagir com os nossos pares no futuro;

Super (Superação)  – as tecnologias que vão expandir as nossas capacidades biologicas?

E esperamos que as perguntas sejam, parcialmente, respondidas durante o TEDxEdges, em todo o caso queremos ser uma pedrada no charco, depois as ondas farão o seu caminho.

Actualmente, e tendo em conta a situação económica e financeira que o país atravessa, de que forma este tipo de encontros ajuda a mudar ou criar novas mentalidades ou até abrir portas a novas discussões e colocá-las em prática?

O ambiente que se cria neste tipo de encontros é singular, pois o TEDxEdges é mais do que uma conferência. Este evento reúne indivíduos com formações distintas, desde cientistas a empreendedores passando por estudantes universitários e criativos. A diversidade cultural e intelectual no evento é que o torna numa experiência enriquecedora.

Este evento incentiva o networking e possibilita que parcerias ou iniciativas possam nascer a partir de interacções entre os participantes. Ao mesmo tempo, as pessoas são expostas a um conjunto de ideias; é um dia intenso.

Este ano decidimos reunir no mesmo grupo de oradores um guru budista, uma cientista e um militar, para além de muitos outros perfis, e estamos certos que isto também irá contribuir para que as pessoas conheçam novas realidades e quiçá mudar mentalidades.

Também ao longo do ano outros eventos TEDx tiveram lugar em outras cidades nacionais, com base em outros temas igualmente importantes. Que balanço é que fazem destes encontros?

Fazemos um balanço muito positivo. Quando criámos o TEDxEdges o objectivo era que alguns anos depois o movimento TEDx se consolidasse em Portugal. Isso hoje é uma realidade, o que nos deixa muito felizes por ver que este país está repleto de ideias, de pessoas com percurso e histórias fantásticas para partilhar, de pessoas com vontade de ter um impacto no mundo. Isso faz-nos acreditar que estamos perante a geração das ideias, a geração da mudança que procura novas respostas e alternativas.

E relativamente às edições anteriores da TEDxEdges?

Também fazemos um balanço muito bom. Quando começámos não imaginámos que fôssemos realizar três edições e que uma delas nem se iria realizar em Lisboa. No fundo, devemos tudo às pessoas que organizaram o TEDxEdges ao longo destes anos, aos oradores que aceitaram partilhar as suas histórias, aos participantes que decidiram aparecer e aos nossos parceiros que decidiram apoiar o evento.

No final do evento, têm o sentimento de “missão cumprida”?

O TEDxEdges 2011 é o produto de cerca de um ano de trabalho por parte de uma equipa apaixonada pelo projecto. A felicidade e o apoio do nosso público é o que nos motiva e no final do evento, não há nada tão bom como o “Obrigado” dos participantes. O TEDxEdges chega já no dia 1 de Outubro mas, estamos a esforçar-nos para proporcionar uma excelente experiência a todos os participantes.

A conferência TEDxEdges realiza-se no dia 1 de Outubro na Fundação Champalimaud. Para mais informações e inscrições, visita o site oficial ou participa no passatempo que a RDB está a promover.

Também poderás assistir ao evento a partir do youtube e estar sempre actualizado através das redes sociais. E nunca te esqueças: se estás desanimado, a vontade de vencer é sempre o factor essencial para conseguirmos o que queremos.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This