White Magic no Porto e no sotão de Lidija Kolovrat

Os nova iorquinos White Magic visitam-nos a 26 e 27 deste mês para concertos na Culturgest Porto (mais um do ciclo comissariado pela Filho Único naquele espaço) e em Lisboa, no sótão amplo da loja da estilista e designer Lidija Kolovrat, no nº 79 da R. D. Pedro V, ao Príncipe Real. O concerto de Lisboa conta com 1ª parte do Norberto Lobo, que acaba de regressar de uma frutuosa tour pelo Japão e se prepara para gravar um novo disco, cujos temas novos aliás já conta apresentar neste concerto.

White Magic

Projecto criado por Mira Billotte, os novaiorquinos White Magic têm sido das mais fascinantes entidades a trabalhar a forma, a tradição e a progressão da canção anglo-saxónica neste novo século. Parecem preocupar-se com todos os elementos – a métrica das frases, o desenho do ritmo, uma nova reconversão harmónica de elementos vocais e instrumentais, a invenção melódica – das suas construções musicais, numa era em que os aplausos neste formato parecem chegar ao surgimento cada meia ideia, quando não aparecem através uma mimetização estética a que só podemos elogiar o timing.

O seu trajecto público inicia-se com a discreta mas não menos interessante banda Quix*o*tic, que abandona em 2003 para criar os White Magic, que cedo editam dois EP’s marcantes – ‘In Through the Sun Door’ e um outro a meias com o grupo norte-americano American Analog Set. Está logo desde o princípio do seu trabalho editorial a extremamente invulgar cadência das melodias de Billotte, que fazem coabitar a abertura frásica da canção jazz mais simultaneamente livre e objectiva (a Billie Holiday de “Strange Fruit”), a espiral da música etíope de Alemayehu Eshete ou Mahmoud Ahmed, a delicadeza gravitacional de Karen Dalton.

‘Dat Rosa Mel Apibus’, pela Drag City, foi o primeiro registo em longa-duração, e levou este amplo vocabulário para paragens psicadélicas muito próprias, dando mais extensão e invenção de estúdio sem por nunca perder a concisão da música White Magic. Foi já em 2007 que o fenomenal EP ‘Dark Stars’ saiu, contando com a participação e composição decisivas do britânico Doug Shaw, que se manteve hoje como uma espécie de escritor-adjunto do projecto – trouxe à banda mais soltura e um contraste luminoso para toda a densidade enigmática e por vezes turva de Billotte. No mesmo ano, Billote contribuiu para o estrambólico filme ‘I’m Not Here’ de Todd Haynes, com a sua versão do original de Bob Dylan “As I Went Out One Morning”.

2008 viu o lançamento pela Latitudes de uma peça, ‘New Egypt’, versão quase definitiva do formato longo de canção desta primeira fase dos White Magic.

Voltam, neste seu ritmo imprevisível de trabalho público e edições, mas com imparável coerência e inventividade, a lançar um disco de média duração durante este Outono, que deverá ser o centro desta actuação.

Concerto: White Magic
Local: Culturgest Porto
Data: 26 de Novembro
Horário: 22h00
Entrada: 5€

Bilhetes disponíveis na Culturgest, FNAC, Ticketline e em vários outros locais.

Concerto: White Magic + Norberto Lobo
Local: Kolovrat 79 – Roof (Rua D. Pedro V, 79)
Data: 27 de Novembro
Horário: 21h30
Entrada: 7€

Bilhetes disponíveis na Flur, Louie Louie e na Matéria Prima.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This