1º Aniversário Merzbau

Um ano de edições é celebrado este mês. Conheçam o programa das festas e o balanço deste primeiro ano através do seu mentor, Tiago Sousa.

 

Embora tenha surgido em meados de 2000 adoptando o formato de web-zine, foi em 2005 que a Merzbau iniciou o meritório trabalho de divulgar novos projectos nacionais, através de uma netlabel que já conta com 9 trabalhos editados, onde constam nomes como Jesus, the Misunderstood, Goodbye Toulouse ou Lobster. No decorrer deste mês, o 1º aniversário da Merzbau é comemorado com a realização de dois concertos muito especiais, em Évora e em Lisboa.

A primeira festa de aniversário está agendada para dia 11 de Fevereiro em Évora na Sociedade Harmonia Eborense, onde vão actuar os Goodbye Toulouse, que apresentam uma nova formação fazendo alinhar Luís Nunes (Jesus, The Misunderstood) Pedro Girão (Jesus, the Misunderstood) e Tiago Sousa, aos quais se juntará Noiserv. No dia 23, será a vez do Lounge em Lisboa receber a comitiva da Merzbau com concertos de Goodbye Toulouse e dos Lemur, que aproveitam para lançar o seu mais recente EP, a próxima edição da netlabel.

Para ficarmos a conhecer um pouco melhor como decorreu este primeiro ano de actividade, convidámos Tiago Sousa, o mentor deste projecto, para uma pequena troca de ideias sobre o passado, presente e futuro da Merzbau. Fiquem com a conversa:

RDB: Qual o balanço deste primeiro ano?

Tiago Sousa: Considero o balanço destes primeiros 12 meses de actividade enquanto netlabel bastante positivo. Conseguimos contribuir para o surgimento de alguns novos nomes e penso que todos os artistas já editados têm óptimas perspectivas de poderem vir a crescer e afirmar-se. Paralelamente às edições temos também conseguido mover algumas actividades que proporcionam aos intervenientes apresentarem o seu trabalho ao vivo e penso que isso nos vai destacando das demais netlabels.

Qual tem sido o feedback e como têm corrido os downloads?

Bem, a nível de quantificar os downloads não temos números muito exactos mas o feedback que vamos recebendo, quer por parte das pessoas (nos concertos e contactos por mail), quer por parte dos media, que a pouco e pouco começam a dar-nos um pouco mais de atenção, dão-nos algumas pistas de como as coisas têm corrido. Há no entanto um longo caminho pela frente mas penso que ao mesmo tempo existe confiança entre todos os intervenientes de que podemos contribuir para uma nova forma de estar na música.

Achas que 2006 vai ser o ano da consolidação das netlabels?

Penso que as netlabels já se encontram bastante consolidadas a nível de abordagens e atitude. Falando no que à merzbau diz respeito espero que possamos alargar um pouco mais o espectro de pessoas que nos visitam. Nesse capítulo ainda temos um longo caminho pela frente mas penso que o futuro é risonho.

Este tipo de editoras não pode “cair” no erro de apostar mais na quantidade do que na qualidade?

Sim, acho que há um pouco esse risco. Na abordagem da merzbau, tento que a coisa não se descontrole muito nesse sentido, também o facto de estarmos a lançar edições em registo de banda leva-nos a que o processo de produção e edição seja um pouco mais lento. Tento que tenhamos um certo critério de edição e que ao mesmo tempo possamos acompanhar as bandas que editamos para que consigam mostrar o seu trabalho ao vivo para assim tentarmos ter uma ligação mais próxima com as pessoas.

Quais os principais destaques para 2006 (edições e não só)?

Bem, para já, Fevereiro será o mês de celebrações do aniversário da netlabel, com dois concertos, um dia 11 de Fevereiro no harmonia em Évora com Goodbye Toulouse e Noiserv e outro no Lounge uma espécie de festa de aniversário com os Goodbye Toulouse e os Lemur, estes últimos estarão a lançar o seu ep. A partir daí há mais duas edições na calha, “debut” e “projecto: inacabado”, e um encontro de netlabels para acontecer em Maio que a seu tempo será anunciado. Existem também alguns planos para edições em formatos físicos (cd e vinyl) mas ainda é um pouco cedo para falar nisso. Vamos ver o que nos acontece. Vivemos muito do imediato, das oportunidades que vão surgindo e que vamos agarrando. Acima de tudo quero que a merzbau se continue a afirmar como um elemento activo no panorama musical

Objectivos e metas para este ano?

A ideia é manter esta atitude, contrariar a apatia geral e mostrar às pessoas que há um universo de bandas, artistas e pessoas que estão interessadas em fazer coisas ao invés de se queixarem da falta de apoios ou meios para mostrarem o seu trabalho. É muito inspirador para mim poder contribuir de algum modo para isso e acima de tudo a merzbau vive dessa energia que vamos recebendo uns dos outros e canalizando para o fabrico de objectos e acontecimentos culturais.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This