“Antifrágil” | Nassim Nicholas Taleb

“Antifrágil” | Nassim Nicholas Taleb

Uma lição para tempos incertos

Se o carteiro vos batesse à porta e entregasse uma caixa de cartão com o carimbo “antifrágil” escrito a toda à volta, muito provavelmente pensariam que, lá dentro, se esconderia um qualquer objecto construído em ferro, propenso a galgar gerações vestindo orgulhosamente o manto da indestrutibilidade.

Depois de em “Cisnes Negros” ter demonstrado que os acontecimentos improváveis e imprevisíveis dominam praticamente todos os aspectos da nossa existência terrena, Nassim Nicholas Taleb volta à carga com “Antifrágil” (D. Quixote, 2014), livro onde defende que essa incerteza é desejável e, muitas vezes, necessária às nossas vidas, propondo que as coisas sejam construídas de forma antifrágil, conceito que se encontra para do resiliente ou do robusto.

Taleb defende que há fenómenos no mundo que beneficiam do stress, da desordem, da volatilidade e da turbulência e que, a “antifragilidade”, é essa categoria de coisas que não ganham apenas com o caos mas precisam dele para se desenvolver – e até para a própria sobrevivência.

Após duas décadas a trabalhar como empresário na indústria financeira, Nassim Taleb passou a dedicar a sua vida ao estudo dos problemas da incerteza, probabilidade e conhecimento. Taleb acredita que o maior factor de fragilização da sociedade corresponde ao conceito do “não arriscar a pele”, incerta sobre como poderá domesticar – ou dominar – o inexplicável. Porém, defende o autor, cometemos frequentemente o erro de confundir o desconhecido com o inexistente, deixando de fora o lado antifrágil da vida.

“Antifrágil” é, mais do que tudo, um livro extremamente ousado, que explica por que razão deveremos incorporar a incerteza, o aleatório e o erro nas nossas vidas. Uma chave para transformarmos a nossa existência. Uma lição para os tempos incertos em que vivemos. Um caderno de instruções para a sobrevivência moderna.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This