rdb_flipside_header

Flip Side

O trabalho de Pilvi Takala na Kunsthalle Lissabon.

Num ambiente descontraído, sobe-se a Avenida da Liberdade, vive-se a Lisboa nas esplanadas dos recém inaugurados quiosques da mítica Avenida. Há música no ar, luz a meio tom, as copas das árvores que tornam todo o ambiente intimista. Nas transversais surge a Rua Rosa Araújo, onde se localiza a Kunsthalle Lissabon, nos números 7 – 9.

Inaugura-se a exposição FLIP SIDE, uma pequena amostra do portefólio de Pilvi Takala, com dois dos seus recentes trabalhos: “The Messengers” (2008) e “Real Snow White” (2009).

“The Messengers” (2008) concentra-se na crítica à publicação massiva que os média realizam em torno da vida privada dos diferentes artistas, valorizando o escândalo e minimizando as boas acções do dia-a-dia.

Ouvem-se os diferentes telefonemas, comunicando as boas acções praticadas pela artista croata Vlatka Pokos, e no meio da parede o respectivo destaque.

O “Real Snow White” (2009) apresenta uma dualidade entre a realidade e a fantasia, onde a artista Pilvi Takala se veste de Branca de Neve e pretende entrar dessa forma para a Disneyland. A impossibilidade de entrar coloca no absurdo a fantasia, como se houvesse um mundo onde tudo é possível acontecer, e para isso se paga um bilhete para entrar, e fora destes portais tudo fosse unicamente a realidade sem a potencialidade de usar e brincar as histórias de encantar. Vê-se a tensão nos funcionários da Disneyland, a confusão nas crianças e adultos e ouve-se “Não é a verdadeira Branca de Neve!”.

Sai-se da exposição, reflectindo sobre as fronteiras do real e do fantástico. Do absurdo do real ao restringir a um só espaço a possibilidade de se sonhar e brincar ao mundo do faz-de-conta. Como se no mundo da criança realmente existissem fronteiras.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This