Plants Vs. Zombies: Garden Warfare 2

Plants Vs. Zombies: Garden Warfare 2 | Análise

Garden Warfare 2 refina o que já foi feito anteriormente e chega bem mais completo, com conteúdo capaz de agradar a todos os jogadores!

O final do mês de Fevereiro viu chegar aos computadores e consolas Plants Vs. Zombies: Garden Warfare 2. Digamos que a primeira entrada nesta (agora) série não foi muito bem recebida. Além de ter sido questionada a pertinência deste novo formato – shooter na terceira pessoa – foi alvo de várias críticas entre as quais se destaca o facto de se ter focado sobretudo na vertente online, tendo pouco ou nada para oferecer aos interessados em conteúdo Single-Player. Com o quarto título da aclamada série Plants Vs. Zombies, a produtora Pop Cap Games, com o apoio da EA, vê-se a braços com um importante objectivo: corrigir os erros do seu antecessor, afirmar-se como série e proporcionar horas e mais horas de diversão a quem lhe decidir dar uma oportunidade. Alheio aos problemas que assolaram o antecessor deste jogo, foi de ânimo leve que o fiz.

Vários foram os jogos que experimentei (e analisei) mas é seguro dizer que nem todos me deixaram com aquele “bichinho”, vício se preferirem. Garden Warfare 2 deixou e de que maneira, para mal dos pecados da minha cara-metade que na sala não tem visto mais nada do que um tipo a praguejar contra plantas e zombies. Aliás, a principal razão pela qual ainda não publicámos a nossa análise, prende-se pelo facto de que, até agora, poucos foram os momentos em que consegui largar o jogo. Mais do que apenas refinar o que já foi feito no título anterior, GW2 chega também bem mais completo com conteúdo capaz de agradar a todos. Vamos ver como?

Tanto do lado dos Zombies como do das Plantas, Garden Warfare 2 conta com um forte leque de classes jogáveis. Algumas regressam do jogo anterior – o que se traduz numa óptima forma de conferir alguma familiaridade aos jogadores veteranos – mas outras são novas adições, prontas a espalhar o caos e provar o seu valor no campo de batalha com as suas habilidades. Rose pode transformar os seus adversários numa simpática cabra mas, por exemplo, o Imp pode armar-se com um poderoso mech, deliberadamente ao estilo de Titanfall (que afinal de contas é da EA). Tanto no lado das Plantas como no dos Zombies tenho sempre rodado entre duas classes em cada facção. Duas delas são já veteranas, como o Peashooter e o All-Star, já as outras, Kernel Corn e Captain Deadbeard, fazem parte do novo leque de classes. Enquanto que a primeira pode fazer apelo a um ataque aéreo e metralhar bagos de milho (um verdadeiro “Cereal Killer”!!!), o carismático capitão pode percorrer o cenário num barril, pronto a explodir quando quisermos e controlar o campo de batalha através do seu papagaio de estimação. Todas as classes são bem distintas e, além das diversas variantes (sub-classes, se preferirem) que cada uma tem para desbloquear, oferecem uma forma igualmente diferente de jogar Garden Warfare. Certamente que não terão dificuldade em encontrar algumas que se adaptem ao vosso estilo de jogo.

Plants Vs. Zombies: Garden Warfare 2

Se estão à espera do derradeiro shooter com uma jogabilidade tão inovadora como complexa, desenganem-se. Contrariamente aos (vários) jogos que homenageia, GW2 é extremamente acessível a todo o tipo de jogadores,  jovens e adultos com maior ou menos experiência no género, todos são bem vindos e todos são igualmente bem recebidos. Como jogador, o nosso principal objectivo é recolher moedas que nos permitam comprar pacotes de cartas onde podemos encontrar, acessórios estéticos, consumíveis e até novas sub-classes. Abrir estes pacotes de cartas, sobretudo os mais caros onde aumenta a probabilidade de saírem itens mais raros, é sempre aliciante. Só que como é a sorte quem fala mais alto, não contem que saia sempre algo que complemente a vossa classe preferida.

O Backyard, serve agora de base de operações para o jogador. É aqui que o podemos vigiar o nosso progresso no jogo, dar um toque pessoal às nossas classes preferidas e escolher quais os modos de jogo onde queremos combater. De facto em termos de variedade, o número de modos não desilude. Há para todos os gostos. Sempre com a diversão em mente alguns adoptam o estilo habitual que podemos encontrar nos demais jogos do género. Falo da captura e defesa de alguns pontos do cenário e o simples derrotar dos adversários da equipa contrária. No entanto há outros que nos levam a enormes cercos a um castelo, e outro até que culmina no objectivo de colocar enormes bolas dentro de balizas. Quanto mais estranhos forem os modos onde se encontrarem, acreditem que maior será a diversão em GW2.

Plants Vs. Zombies: Garden Warfare 2

Claro que desta vez o single-player não podia ficar de fora e desta vez em Garden Warfare há muito para fazer sozinho. Podem jogar localmente em Split-Screen com um amigo, ou podem explorar sozinhos a cidade de Zomburbia, onde há imenso para fazer e descobrir. Há até um modo campanha para as duas facções que no final vos desbloqueia um modo bem interessante onde podem recolher uma boa porção de moedas. Não me perguntem muito sobre a história destas duas facções, de tão embrenhado que estava a derrotar a facção inimiga mal dei por mim, estava na lua a derrotar hordas enormes de… Gnomos. Achei estranho, mas não liguei e como um bom soldado não fiz perguntas e diverti-me à brava.

Seja online ou a solo há tanto por fazer em Garden Warfare 2. Praticamente tudo o que fizermos confere-nos moedas que podemos gastar e a acção não para de nos levar a confrontos épicos mas sempre divertidos. Graficamente este é um titulo que impressiona, a Pop Cap Games recorreu ao aclamado Frostbite 3 e nunca a acção de Garden Warfare foi tão colorida e vibrante em cenários igualmente impressionantes. Os vários modos e classes disponíveis conferem uma enorme variedade e longevidade ao jogo e a jogabilidade acessível o quanto-baste garante que tenhamos sempre uma experiência gratificante sempre que voltarmos aos jardins de Garden Warfare. Agora se me permitem vou só ali ajustar contas com um Citrino que precisa de uma boa dose de vitamina Z… de Zombie!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This