rdb_artigo_slmt

Estamos aqui…

... porque não podemos voltar.

É este o título e mote da peça que esteve em cena nos últimos dois fins-de-semana de Fevereiro no Jardim de Inverno do Teatro São Luiz, em Lisboa; primeiro espectáculo da banda OU da QatreL, associação recentemente formada que reúne criativos que desenvolveram diferentes actividades de forma individual nos últimos 20 anos, como Teresa Sobral, José Pedro Cavalheiro e Paulo Curado.

A peça, que é uma mistura entre teatro e música, inspira-se na cidade de Lisboa e reúne em palco quatro músicos e quatro actores, utilizando o humor como forma de crítica social e política, a partir de textos escritos por Miguel Castro Caldas e música de Paulo Curado.

Na verdade, nem se consegue saber quando começa o teatro e acaba a música, ou vice-versa, já que os presentes em palco criam um imaginário em que ambas as vertentes se mesclam e se tornam indistinguíveis. Existe inclusive um realizador de vídeo que viaja entre o palco e cujas imagens captadas são transmitidas imediatamente numa enorme tela. Como um concerto de festival, portanto.

Durante cerca de hora e meia, inteligentes críticas vão sendo disparadas em todas as direcções, tendo sempre Lisboa em mente. Uma Lisboa triste, governada por políticos gananciosos e insensíveis, desmesuradamente cheia. Tão cheia que até tem “janelas junto ao passeio” e os pobres, que nem sequer possuem uma casa, não encontram para si um sítio. Mas não existem apenas críticas em “Estamos aqui porque não podemos voltar”. Há também espaço para sensualidade e humor perspicaz. Por vezes demasiado para alguns dos espectadores, que esboçavam um sorriso ao ver a plateia a rir em coro.

No final, uma conclusão. A de que os oito entertainers estão na verdade mortos nesta imensa metrópole e estão aqui… porque não podem voltar.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This